Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anita Descomplica

Organizar nunca foi tão fácil. Complica? A Anita descomplica!

Anita Descomplica

26
Jan17

O que aprender com Marie Kondo + Passatempo "Arrume a sua casa, arrume a sua vida"

Anita

Sem Título (2).png

 

Quem é que já ouviu falar de Marie Kondo? Marie “KonMari” Kondo gere um aclamado negócio de consultoria em Tóquio ajudando os seus clientes a transformar casas desorganizadas em verdadeiros espaços de serenidade e inspiração. Com uma lista de espera de três meses, o seu método de organização tornou-se um verdadeiro fenómeno internacional dando origem aos livros “Arrume a sua casa, arrume a sua vida” e “Alegria!” da Pergaminho.

 

Confira comigo as melhores dicas do livro e comece a organizar agora!

 

1. Aprenda a organizar

O processo de organização necessita de aprendizagem e inclui apenas duas tarefas: Deitar fora e definir um local para cada objeto na sua casa. No entanto, para que a organização seja eficaz, elas têm que ser executadas por esta ordem e só após terminar a primeira tarefa se deverá passar para a segunda.

 

2. Organize de uma só vez

Se organizarmos um bocadinho cada dia podemos causar o que Kondo denomina de “efeito boomerang” e corremos o risco de passar o resto da vida a organizar a casa, por isso faça da organização um “acontecimento especial”. Organizar de forma eficiente, o mais depressa possível afeta profundamente a nossa mente e provoca-nos um sentimento de aversão a regressar ao estado anteriormente desorganizado. A chave está em tornar a mudança tão repentina que qualquer pessoa sofre um choque positivo ao ver a sua casa organizada.

 

3. Guarde só o que a faz feliz

Comece por deitar fora tudo aquilo que tem a certeza que é para deitar fora. Em caso de incerteza, coloque as suas mãos nos objetos e pergunte-lhes: “Isto inspira-me alegria?”. Guarde apenas coisas que lhe inspirem alegria e que lhe falem ao coração.

10.jpg

 4. Organize por categoria

Nunca comece por selecionar e deitar fora segundo a localização das coisas. Porquê? Porque a maioria de nós não se dá ao trabalho de guardar objetos semelhantes na mesma assoalhada. Em quantas assoalhadas da sua casa tem livros, por exemplo? Comece por juntar todos os itens da mesma categoria num só local e parta daí para a organização.

 

5. Escolha um lugar para cada coisa

A importância de designar um lugar específico para guardar os objetos é que haverá locais determinados para acondicionar todas as suas coisas e isso manterá sua casa sempre organizada.

 

6. Comece pelas Roupas

Marie Kondo recomenda que se comece por organizar as roupas uma vez que que não é uma categoria de objetos tão emocionalmente carregada como os livros e outros objetos de apelo sentimental. Depois de descartar as roupas avance para os livros, papelada, itens variados até chegar aos objetos sentimentais como presentes e lembranças. Lembre-se que o processo de selecionar o que manter e o que deitar fora será muito mais tranquilo se começar com itens acerca dos quais é mais fácil tomar uma decisão.

 

5.jpg

 

7. Livre-se das "roupas de andar por casa"

Não devemos despromover a roupa a “roupa de andar por casa” porque também a nossa estadia em casa deve ser celebrada e não é porque não gostamos da roupa ou ela não nos fica bem que devemos usá-la em casa. Opte por peças mais confortáveis para estar em casa mas não se desleixe.

 

8. Dobre da maneira mais correta

A técnica da dobra vertical de Marie Kondo torna tudo fácil de organizar e difícil de desarrumar. Dobrando desta maneira, as suas roupas ficam alinhadas em filas. Kondo sugere ainda que não se gaste dinheiro em organizadores e recomenda o uso de caixas de sapatos como divisorias de gavetas, caixas menores são perfeitas para lenços e roupa íntima, uma caixa profunda pode organizar os seus pijamas dentro de uma gaveta  e assim por diante.

 

9. Se não precisa de algo, a sua família também não

Quando estiver a selecionar as coisas que não quer mais, evite ao máximo separar parte da sua tralha para “doar” para a sua família e destinar roupas para a irmã mais nova, mobília para a casa dos pais e outras lembranças para tios ou primos. Doe para pessoas realmente necessitadas, caso contrário estará apenas a transferir o seu problema para a sua família. Não entendam mal este ponto, dar coisas que já não usamos a outras pessoas é uma exelente ideia (não só a nível económico mas também a nível sentimental) mas isso não é o mesmo que impingir coisas aos seus familiares simplesmente porque não é capaz de as deitar fora.

1.jpg

 

10. Os trocos são para estar na carteira

A maioria de nós negligencia os trocos. Os homens tendem a deixar as moedas na superfície de algum móvel da casa e mulheres acabam por se esquecer das moedinhas perdidas no fundo da mala. O fato é que moedas também são dinheiro e devem ir para a carteira para ser usadas e não ficarem paradas dentro de alguma gaveta ou no fundo da mala. Cultive o hábito de utilizar as suas moedas sempre.

 

11. Nunca empilhe as suas coisas

Organize na vertical porque se empilhar as suas coisas acaba por ter à disposição um espaço sem limites, o que torna mais difícil perceber o aumento do volume, mas se organizarmos na vertical, o aumento do número de objetos ocupará todo o espaço e irá reparar mais facilmente quando tiver a acumular coisas a mais. Por outro lado quando empilhamos, as coisas que ficam no fundo da pilha não só tendem a estragar-se como tendemos a esquecer-nos delas e deixamos de as usar tão regularmente.

 

12. Descarte os livros nunca lidos

Deixe de arranjar desculpas para livros “não lidos”, encare a realidade de que nunca mais irá lê-los e veja-se livre deles de uma vez por todas. Há imensas instituições que precisam deles... dê-lhes uma nova vida!

 

13. Komono

Komono é a expressão em japonês para “pequenos objetos”. Não guarde pequenos objetos “porque sim”, isso deixará a sua casa cheia de quinquilharia. Reflita sobre a razão de estar guardando cada objeto e pergunte sempre se ele lhe trás alegria!

5513149430f9caaa492d68923218d671.jpg

14. Presentes não são “coisas”

Está a ver aquele presente que recebeu e ainda está na caixa mas que não tem coragem de se desfazer dele… precisamente porque foi um presente?! Kondo ensina-nos que a verdadeira função de receber um presente é “ser recebido”. Presentes não são “coisas” e sim um meio de transmissão dos sentimentos de alguém. Acredite que a pessoa que lhe deu o presente não quer que o use por obrigação. Com esta prespetiva em mente, não existe motivo para se sentir culpado por deitar fora um presente. Agradeça-lhe pela alegria que lhe deu quando o recebeu e deite-o fora ou doe a alguém que precise dele.

2117b43c210d60728d28fcaae811d5b0.jpg

 

15. Valorize o que tem, seja grato e aprenda a viver sem

Expresse gratidão pelos objetos que tem e cuide bem deles. Cuidar das nossas coisas com carinho é a melhor maneira de ser grato. Por outro lado, descartar objetos que não lhe dão alegria, não farão falta no seu dia a dia. Viver com menos torna-nos pessoas mais felizes!

15.jpg

 

Quando ler este livro será contagiada pela vontade de organizar cada canto da sua casa. Que tal começar? Ou prefere ficar parada no meio do caos?

Para ajudar tenho um livro "Arrume a sua casa, arrume a sua vida" de Marie Kondo para oferecer a uma de vocês.

Para se habilitarem têm que seguir o Blogue “Anita Descomplica” e deixar um comentário na caixa de comentários do Blogue.

O Passatempo termina dia 2 de fevereiro às 23h59m e o vencedor será anunciado dia 6 de Fevereiro.

Participem, não compliquem!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub