Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anita Descomplica

Organizar nunca foi tão fácil. Complica? A Anita descomplica!

Anita Descomplica

31
Mai17

Brinquedos certos para cada idade

Anita

0.png

 

É através da brincadeira que as crianças criam, exploram, inventam e acima de tudo desenvolvem as competências inteletuais e motoras que as ajudam a crescer tais como a memória, a linguagem, a atenção, a percepção, a criatividade, o raciocinio e a solução de problemas. É também através da brincadeira que a criança socializa, explora e conhece o mundo, aprende a ser responsável e a interagir com os seus pares.

 

A principal função dos brinquedos deverá ser a de ajudar a criança a crescer sendo um meio privilegiado para aprender, brincando! Enquanto se diverte, a criança desperta a sua curiosidade e vontade em aprender cada vez mais sobre tudo o que a rodeia.

 

Na hora de comprar, veja se este tem o símbolo CE (sinal de que respeita a legislação em vigor) e procure na embalagem a indicação da idade a que se destina, instruções e avisos de cuidados a ter.

 

ce.jpg

  

O Dia da Criança é já amanhã e com ele muitas crianças recebem um presentinho. E porque cada brinquedo deve ser pensado para uma fase específica do desenvolvimento da criança por forma a estimular os seus sentidos, capacidades cognitivas e motoras, bem como o gosto pela aprendizagem de forma natural, confira os brinquedos certos para cada faixa etária.

 

1. Dos 0 aos 6 Meses

 

1.jpg

 

Adoram mobiles coloridos pelo que deve colocar um sobre o berço e observar a forma como reage às sombras, à música e ao movimento oscilante das figuras. Uma verdadeira delícia! 

Opte também por brinquedos coloridos de formas arredondadas, que estimulem os sentidos e que sejam leves, permitindo que o bebé os leve à boca como animais de borracha, rocas ou bolas com guizos.

Preste especial atenção aos materias - tintas e plásticos - pois estarão em contato permanente com a boca do bebé.

 

2. Dos 6 aos 12 Meses

2.jpg

 

Nesta faixa etária os bebés ainda brincam sozinhos e gostam de brinquedos coloridos e que façam barulho. Opte por brinquedos de borracha para apertar que ajudem o bebé a desenvolver a motricidade fina e que ao mesmo tempo possam ser levados à boca de modo a aliviar o desconforto gerado pelo aparecimento dos primeiros dentes, blocos para encaixar e empilhar, livros de plástico ou pano próprios para esta faixa etária, brinquedos que imitam os objetos dos adultos e que façam barulho (como telemóveis) e animais flutuantes para o banho.

Verifique se os décibeis emitidos por alguns brinquedos não são excessivos e se não há risco de se soltarem peças pequenas que compromentam a segurança do bebé.

 

3. Dos 12 aos 24 Meses

 

3.jpg

 

Nesta fase as crianças começam a dar os primeiros passinhos e começam a interagir com outras crianças e com os adultos. Divertem-se com brinquedos que emitem som quando pressionamos um botão e que estimulam a curiosidade pela relação causa/efeito, gostam de bonecos de plástico de cores coloridas e brinquedos para montar e desmontar e com o surgimento dos primeiros passos está na hora de adquirir brinquedos que possam puxar e empurrar de um lado para o outro, como os carrinhos de bonecas.

 

4. Dos 2 aos 3 Anos

 

4.jpg

 

A criança, nesta faixa etária, gosta de brinquedos que induzam o movimento, como os triciclos e as bolas. Para continuar a incentivar a parte motora opte por oferecer blocos de empilhar e instrumentos músicais.

 

5. Dos 3 aos 4 Anos

 

5.jpg

 

Adoram brinquedos que simulem a realidade como cozinhas, oficinas, teatros, casas de bonecas, carrinhos ou animais de plástico.

Esta é uma boa fase para oferecer puzzles que favorecem a concentração e a motricidade fina ou então plasticina, lápis de cera e conjuntos de pintura que estimulam a criatividade.

Comece a dar mais ênfase à literatura, para isso, conte-lhes histórias infantis enquanto eles o acompanham observando as ilustrações. 

 

6. Dos 4 aos 6 Anos

 

6.jpg

 

Nesta fase podem ser inseridos jogos com regras fáceis sendo que através deles são trabalhados tanto o raciocínio como as emoções (especialmente a resistência à frustração, sendo que aprender a lidar com este sentimento é essencial para o seu equilíbrio emocional e desenvolvimento da personalidade).

O triciclo pode ser substituido por uma bicicleta com rodinhas uma vez que os brinquedos que estimulem as brincadeiras ao ar livre e em grupo são muito importantes para a socialização. Incentive-os a respeitar as regras de segurança e a usar capacete. 

Outros brinquedos que são de extrema importância nesta fase são a plasticina, cadernos para colorir, jogos de memória e legos.   

 

7. Dos 6 aos 9 Anos

 

7.jpg

 

Os jogos de construção estimulam o espírito inventivo e a reprodução do mundo real. Livros, jogos de tabuleiro, corda para saltar, patins, bicicletas, carrinhos de corrida, legos, aviões telecomandados são alguns dos brinquedos que fazem a alegria das crianças nesta faixa etária.

 

8. Dos 10 aos 12 Anos

 

8.jpg

 

Com a entrada na pré-adolescência, já se encontram numa fase em que lhes pode perguntar o que gostariam de receber pois estão a começar a definir os seus gostos e interesses mas é também muito importante que opte por lhes oferecer tudo o que lhes estimular o raciocinio e a criatividade como jogos de tabuleiro e livros. 

 

 

Importa ainda relembrar que sempre que decidir comprar um brinquedo novo para o seu filho, independentemente da idade que ele tenha, deverá fazer a si próprio as seguintes questões:

 

9.jpg

 

 

1. Estou, de algum modo, a incentivá-lo a que desenvolva atividades físicas e inteletuais?

2. O brinquedo é adequado para a interação com outras crianças ou jovens?

3. Posso sentar-me e jogar ou brincar com os meus filhos se lhes der isto de presente?

4. O retorno é proporcional ao investimento?

5. Estou a oferecer este presente porque quero proporcionar o desenvolvimento do meu filho ou compensar, de algum modo, a minha ausência?

 

Lembre-se que brincadeira é mais que os brinquedos e brincar pode ser feito com poucos recursos, basta usar a imaginação.

 

10.png

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

Feliz Dia da Criança!

 

29
Mai17

10 Produtos que possuem data de validade mas ninguém conhece

Anita

0.png

 

É muito fácil de perceber quando um alimento ou produto já passou o seu prazo de validade pois este assume outras cores, texturas ou cheiros e outras vezes basta verificar na embalagem.

 

No entanto existem alguns produtos que, apesar de não terem uma data de validade estipulada, vão perdendo os seus efeitos e propriedades com o passar do tempo.

 

A importância de saber a validade dos produtos está relacionada não só com a perda dos seus efeitos (como é o caso do protetor solar que simplesmente deixa de proteger contra os raios UV podendo levar ao aparecimento de queimaduras) como a proliferação de bactérias (como é o caso da maquilhagem e das esponjas de banho).

 

Confira a lista abaixo e se for o caso substitua os produtos que tem em casa.

 

1. Temperos secos

 

1.jpg

 

O prazo de validade dos temperos secos depende muito do modo como os mesmos estão armazenados sendo que, após algum tempo podem ir gradualmente perdendo o seu sabor. Em média o prazo de validade dos temperos vai de dois a três anos.

 

2. Extintor de incêndio

 

2.jpg

 

A maioria dos extintores de incêndio não expira num período que vai de cinco a quinze anos no entanto, se não quer comprometer a segurança dos habitantes da casa, deverá verificar alguns detalhes com periocidade como sendo as fendas na mangueira ou problemas de pressão.

 

3. Esponja do banho

 

3.jpg

 

Devido à humidade e falta de iluminação, a nossa casa de banho é normalmente um local ideal para o crescimento de bactérias. Nas esponjas do banho o mesmo acontece e é recomendado que a substituição das mesmas seja feita no mínimo uma vez por mês. Não nos podemos esquecer ainda de a higienizar e secar a mesma, se possível diariamente.

 

4. Ténis de corrida

 

4.jpg

 

Quando corre é bastante importante que possua um par de ténis que não só amorteça o peso do seu corpo como ainda o impeça de criar lesões. Depois de alcançar certa quantidade de quilómetros - entre 400 e 800 km - os ténis começam a perder resistência o que pode significar uma carga adicional às suas articulações e consequentemente provocar lesões.

Infelizmente não há uma resposta concreta (de 400 a 800km há uma grande diferença!) pois existem sempre variáveis que temos que ter em consideração como a construção dos ténis, a nossa forma física, o tipo de passada que temos, o tipo de solo onde corremos frequentemente e até mesmo o clima.

Por exemplo, se caminhar três a quatro vezes por semana cerca de trinta minutos deverá trocar de ténis a cada seis meses. Se por outro lado, andar sete vezes por semana cerca de uma hora os ténis deverão ser trocados a cada três meses. Importa ainda salientar que se tem excesso de peso deverá trocar de ténis com maior frequência.

 

5. Protetor solar

 

5.jpg

 

O calor até pode ainda não ter chegado em força mas já vemos produtos solares à venda por todo o lado. Mas quantos de nós acabámos a época balnear anterior com os produtos solares ainda a meio? A verdade é que depois de ter contato com a água, com os grãos de areia e com mãos gordurosas, pode se começar a apagar a data de validade da sua embalagem de protetor solar e também é verdade que carregamos os produtos solares para qualquer lado sendo que estes são uma porta aberta á entrada de bactérias. 

Lembre-se que é sempre útil saber quando comprou este tipo de produtos uma vez que as propriedades que protegem a sua pele dos rais UV duram no máximo dois anos, podendo variar de marca para marca. Usar um produto solar fora de validade pode pô-lo em risco porque os filtros UV presentes nos produtos podem não se espalhar de forma uniforme por toda a pele mesmo que os componentes continuem estáveis e podem ainda causar irritações na pele.

Tenha especial atenção aos produtos "after sun" uma vez que estes são aplicados na pele queimada e portanto mais vulnerável.

Em relação aos bronzeadores, a validade é mais reduzida - cerca de um ano após abertura - pois o ingrediente ativo (DHA) é na maior parte dos casos à base de água e tem poucos conservantes sendo que, quando ultrapassa o prazo de validade, estes produtos tendem a oxidar adquirindo uma coloração verde.   

 

6. Maquilhagem

 

6.jpg

 

Maquilhagem com prazos de validade vencidos podem criar irritações e até alergias mais graves pois a validade refere-se sobretudo aos conservantes, ingredientes que evitam a proliferação de fungos e bactérias. Quando se utiliza um produto de maquilhagem já contaminado anterirmente e se houver pequenas lesões na pele, as bactérias do produto contaminado poderão invadir o nosso organismo, provocando infecções. Algumas destas bactérias poderão ainda atacar as glândulas sudoríparas sebácias e até folículos pilosos, que dão sustentação aos pelos da pele.

 

Assim, tenha em atenção a validade da sua maquilhagem:

 

Rímel: 3 a 6 meses

Pós (incluindo pó compacto, pó bronzeador, blush e sombras): 24 meses

Gloss e Batom: 12 meses

Lápis de olhos, sobrancelhas e lábios: 12 meses

Eyeliner líquido: 3 a 4 meses

Verniz: 12 meses

Base líquida: 12 meses

Corretor: 8 meses

Cosméticos naturais: têm uma validade inferior devido ao facto de não usarem conservantes sendo que a validade é cerca de 6 meses

 

7. Bebidas alcoólicas

 

7.jpg

 

A maior parte das bebidas alcoólicas possuem um prazo de validade indeterminado, ou seja, se armazenadas corretamente elas não se estragam. Isto acontece nas bebidas destiladas como a vodka, o whisky o bourbon, a tequilla, a cachaça, o rum e o brandy. As bebidas fermentadas possuem um prazo de validade, após aberto, muito reduzido como por exemplo o saquê e o vinho que devem ser consumidos no prazo de três dias já que vêem o seu sabor e aroma alterados pelo contato com o oxigénio. Por outro lado, os licores que possuem creme na sua composição, como o Bailey's, também são bastante afetados com o tempo. Após abertos devem ser consumidos no prazo de seis meses e fechados geralmente possuem a data de validade escrita na embalagem que geralmente é até cerca de um ano e meio após a data de fabricação. Quando começar a ver que o açucar se cristaliza no fundo da garrafa ou verificar alguma descoloração não deverá consumir esse licor. A cerveja possui a data de validade na embalagem enquanto que os vinhos espumantes deverão ser consumidos no máximo algumas horas após abertos porque perdem a carbonização muito rapidamente.

Importa relembrar que as garrafas devem ser armazenadas em local seco, à temperatura ambiente e longe de luz solar direta. De preferência guarde-as longe de qualquer parede externa pois estas são as que sofrem maiores alterações de temperatura.

 

8. Detergentes

 

8.png

 

Quantos de nós aproveitamos as promoções dos hipermercados para comprar detergentes de qualidade em quantidade? Um bom detergente, armazenado da maneira mais correta, pode durar entre seis meses e um ano desde a data da fabricação e não desde a data em que o compra. Por esta razão, vários especialistas têm exigido que os produtos de limpeza tenham a data de validade ou de fabrico na embalagem evitando a compra de produtos que já não garantam qualidade na limpeza, no entanto, são ainda raros os produtos que a apresentam.

No caso dos detergentes para a roupa, as enzimas responsáveis pela remoção das manchas de chocolate, sangue ou molhos e os agentes de branqueamento são os dois ingredientes que se deterioram com maior rapidez, sendo que os detergentes que apresentam uma maior presença destes componentes são os que se degradam mais depressa.

Em relação ao detergente para a máquina de lavar loiça não chegam a durar seis meses pelo que tenha cuidado se comprou embalagens para ter em stock em casa. Os mais susceptíveis são as pastilhas sendo o detergente líquido aquele que pode guardar durante mais tempo.

As condições de armazenamento também afetam o tempo de vida destes produtos, sendo preferível armazená-los em áreas frescas, secas e sem luz evitando a exposição a agentes que acelerem a degradação.

 

9. Lâminas descartáveis

 

9.jpg

 

Como o próprio nome sugere, este é um produto descartável. Para evitar a proliferação de bactérias o ideal é utilizar uma lâmina por semana ou trocar a cada três ou quatro utilizações. Nunca se esqueça que estes produtos são pessoais e intransmissíveis não devendo ser partilhados mesmo entre familiares.

 

10. Repelente de insetos

 

10.jpg

 

Se tem um repelente químico em casa saiba que é seguro usá-lo por cerca de dois anos no entanto, no caso de ter ingredientes naturais - como a citronela e a bergamota - estes não deverão ser usados por mais de um ano. Mesmo assim, os especialistas recomendam que tenha em atenção a data de validade quando viaja para longe.

Quando falamos de creme ou gel para as picadas de inseto temos que ter especial atenção ao prazo de validade dos mesmos pois trata-se de um medicamento. Se o armazenar corretamente - num sítio escuro e fresco para evitar a proliferação de bactérias - este pode durar até cerca de dois anos sendo que deverá ser sempre substituido se a consistência ou o odor se alterarem.  

 

11.jpg

 

Uma dica muito útil é manter um arquivo, por exemplo no seu telemóvel ou computador, com a data em que adquire estes produtos e qual o prazo de validade sugerido para os mesmos.

 

E vocês, tinham noção da validade destes produtos?

Já está na altura de fazer algumas substituições aí por casa?

 

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

26
Mai17

Desligar a tomada. Os 10 aparelhos que gastam mais energia mesmo desligados

Anita

0.png

 

Desligados ou em modo "stand-by", há aparelhos que são responsáveis por uma percentagem da conta da luz que paga todos os meses.

 

A verdade é que a maioria de nós acha que basta desligar no botão os aparelhos eletrónicos para que estes deixem de consumir energia. No entanto, mesmo desligados, há aparelhos que consomem bastante energia e isso reflete-se na conta. Isto aplica-se até mesmo aos aparelhos que não possuem um modo "stand-by" com luz indicativa, consumindo energia fantasma, isto é, energia que não se percebe que está a ser desperdiçada. Um exemplo disso é o carregador de telemóvel que tantas vezes deixamos ligado à tomada.

 

Assim sendo, aparelhos desligados no botão mas ligados à tomada podem consumir entre 1 e 50 Watts/hora. E mesmo que 1 Watt pareça pouco, o dia tem 24 horas e multiplicado pelos dias do mês são muitos Watts desperdiçados.

 

Ora veja a lista de quanto gasta por hora - em média - alguns aparelhos que temos em casa. Depois, adopte, sempre que possível, a rotina de os desligar da tomada quando os mesmos não estiverem a ser utilizados.

 

1. Computador Desktop: até 21 Watts/hora desligado e 80 Watts/hora quando ligado;

 

2. Computador Portátil: 15 Watts/hora mesmo desligado;

 

3. Consola de Jogos: 1 Watt/hora quando desligada e 23 Watts/hora quando ligada; 

 

4. Home Theater: 19,5 Watts/hora;

 

5. Sistema de som: 15 Watts/hora;

 

6. Televisão: 3 Watts/hora;

 

7. Microondas: Cerca de 3 Watts/hora;

 

8. Box da TV: 33 Watts/hora;

 

9. Máquina do Café: 1 Watt/hora;

 

10. Carregador de telemóvel: Se só estiver ligado à tomada, mesmo sem o telemóvel, já consome 1 Watt/hora. Se estiver com o telemóvel carregado com 100% de bateria consome 4,5 Watts/hora e se estiver a carregar o telemóvel consome 8 Watts/hora.

 

Para além das nossas carteiras, há que não esquecer que para sustentar os consumos energéticos das nossas casas, existe, a nível mundial, centenas de centrais a emitir biliões de toneladas de gases nocivos à nossa saúde e ao ambiente.

 

1.jpg

 

E que tal? Não acha que está na altura de começar a poupar?

O ambiente e a nossa carteira agradecem! 

 

(Imagens retiradas da Internet)

24
Mai17

Dicas de decoração para quem tem animais

Anita

0.png

 

Quem tem animais em casa sabe: Eles são membros da família que se assemelham aos bebés porque temos que ter alguns cuidados na decoração da casa em função deles. 

 

Confira algumas dicas de decoração para quem quer manter a casa bonita e em ordem mesmo com animais.

 

1. Esqueça os tapetes caros

 

1.jpg

 

Lá em casa nem caros nem baratos, os tapetes foram banidos por exigência do "minorca lá de casa". Como ele não conseguia lidar com o fato de existirem tapetes (onde fazia questão de fazer sempre o seu xixizinho) os tapetes foram banidos. Se mesmo assim quiser manter os tapetes (apesar dos xixizinhos e das arranhadelas) opte por modelos mais económicos e dê preferência aos de pelo sintético ou de sisal. Caso tenha um tapete caro, porque não adaptá-lo à sua parede criando uma maravilhosa tela?

 

2. Opte por pisos resistentes 

 

2.jpg

 

Pisos laminados, de pedra ou de cerâmica são mais fáceis de limpar e manter do que um piso de carpete. Além disto, estes materiais são mais frescos em dias quentes o que proporciona um alívio para os nossos companheiros de quatro patas quando o calor aperta. Se tem um animal idoso, não opte por pisos escorregadios pois dificultam-lhe bastante a locomoção e podem causar acidentes. Se já for o caso em sua casa, adicione ao seu chão tapetes anti-derrapantes para lhes facilitar a vida. Afinal, ele agradece-lhe todos os dias com o amor que lhe dá!

 

3. Proteja as peças frágeis

 

3.jpg

 

"Oops...". Esta palavra não gostamos nada de ouvir mas muitas vezes acho que a cara de alguns animais dizem isso mesmo! Por isso, se tem um jarrão caro ou com valor sentimental, lembre-se que os animais, enquanto estão na brincadeira, não medem as consequências dos seus atos. Por isso mais vale prevenir do que remediar e proteja as peças mais frágeis para não as transformar em cacos. Para poder exibir as suas peças favoritas sem medo, coloque-as em cristaleiras com vidros resistentes e à prova de animais eufóricos.

 

4. Escolha a tinta certa

 

4.jpg

 

Sabia que a tinta acetinada é bem mais fácil de limpar e resistente a manchas? Será a tinta adequada quando o seu cão acabar de chegar do seu passeio e lhe saltar contra a parede.

 

5. Escolha um tecido resistente para o seu sofá

 

5.jpg

 

Sabe tão bem quando o Kikos (o minorquinha aqui de casa) fica enrolado em nós no sofá enquanto vemos televisão. Ele (felizmente!) não larga pelo mas quando tem as patinhas sujas é no sofá que gosta de as limpar! Por isso, na hora de comprar o seu sofá opte por pele (mas não sintética porque eles destroem-na em três tempos) ou de forma mais económica por tecidos lisos como o chenille ou a sarja.  

 

6. Tenha um espaço divertido para o seu amiguinho

 

6.jpg

 

Os animais são como as crianças, gostam de se divertir e precisam de estímulos para se desenvolver, especialmente os gatos que são curiosos e aventureiros e para tal é preciso criar um espaço com desafios para eles se poderem entreter sem ser com a lateral do sofá da sala. Procure integrar móveis especiais para gatos (como torres e escadas) com a decoração lá de casa adaptando a casa para todas as espécies que fazem parte da família. 

 

Se não tem um animal em casa mas gostaria de ter leia "Passos para adotar um animal de estimação"

 

E vocês, têm animais em casa? Como foi a adaptação quando eles chegaram?

Partilhem comigo!

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

22
Mai17

14 Alimentos que podem ser congelados (E talvez ainda não saiba!)

Anita

0.png

 

Aqui em casa somos contra o desperdício e não gostamos nada de estragar comida e para além de congelarmos a carne, o peixe e o pão, existem outros alimentos que também congelamos cá em casa que evitamos que se estraguem e que podem ser reaproveitados após congelação. Afinal uma das técnicas de conservação mais eficazes é a congelação que retarda o aparecimento de miroorganismos ao submeter os alimentos a baixas temperaturas.

 

Confira comigo 14 alimentos que podem ser congelados.

 

1. Café

 

1.jpg

 

Muitas vezes fazemos café a mais e optamos por congelar o restante em cuvetes de gelo que reaproveitamos para fazer refrescos de café.  Alguma vez experimentou?

 

2. Alface

 

2.jpg

 

Quando verificamos que a alface pode não ser consumida a tempo juntamos as folhas e batemos no liquidificador com um pouco de água e guardamos o preparado no congelador em cuvetes de gelo. Depois utilizamos em sopas, por exemplo, o que aumenta o teor de fibras e nutrientes das mesmas.

 

3. Bananas

3.jpg

Também costumamos congelar bananas quando constatamos que estão a começar a ficar escurinhas. Quando queremos fazer bolo de banana descongelamo-las no microondas e, voilá... vai haver bolo para o jantar!

 

4. Ervas frescas 

 

4.jpg

 

Esta é a nossa mais recente experiência! Descobrimos por acaso em conversa com uma amiga. Picámos as folhinhas de ervas frescas (pode ser salsa, coentros, cebolinho, mangericão, alecrim...) e colocámos em cuvetes junto com um pouco de azeite, levámos ao congelador e agora vamos usando para temperar diversos pratos. Delicioso!

 

5. Margarina ou manteiga

5.jpg

 

Guardamos a margarina e a manteiga no congelador em recipientes herméticamente fechados e é bastante útil nos cozinhados. 

 

6. Queijo

 

6.jpg

 

Nem todos os queijos devem ser congelados (os cremosos, por exemplo, ficam aguados) mas por aqui, por vezes congelamos os queijos mais duros. Ralamos o queijo e utilizamos para gratinar ou para fazer pizza caseira. 

 

7. Ovos

 

7.png

 

Sim, é verdade, os ovos podem ser congelados. Mas não na casca. Devem bater-se primeiro para serem utilizados posteriormente em omoletes ou ovos mexidos ou em alternativa, separar as claras das gemas e colocá-las em saquinhos separados para poderem ser utilizados para fazer bolos. Um truque: anotar com uma caneta de acetato nos sacos quantas claras e quantas gemas lá estão para não usarmos a mais ou a menos quando confecionarmos o bolo e não esquecer de anotar também a data da congelação.

 

8. Tomates

 

8.jpg

 

Os tomates são alimentos que em pouco tempo começam a apresentar sinais de contaminação, principalmente de mofo. Para aumentar o tempo de conservação pode guardá-los no congelador para serem utilizados na confeção de molhos.

 

9. Uvas

 

9.jpg

 

Comprou um cacho enorme de uvas e acha que não as vai consumir a tempo? Congele-as! Esta fruta pode ser congelada e utilizada posteriormente para fazer sumos ou batidos. Uma dica: Utilize as uvas congeladas para esfriar um pouco o vinho em vez de colocar gelo que dilui a bebida.

 

10. Abacate

 

10.jpg

 

Entre o estar pronto a consumir e o ganhar as tão desagradáveis manchas escuras não demora muito tempo. Infelizmente esta fruta estraga-se com uma rapidez incrível. A solução? Congelar. Para isso basta cortá-los ao meio, retirar o caroço, esmagá-los e adicionar umas gotas de limão para ajudar à conservação.

 

11. Cogumelos

 

11.jpg

 

Também podem ser congelados mas exigem preparação prévia. Corte-os em fatias e espalhe-as num tabuleiro que permita que não fiquem sobrepostas e caiba no congelador. Deixe-os congelar deste modo durante cerca de duas horas, depois retire o tabuleiro do congelador e coloque as fatias de cogumelos em recipientes que permitam um melhor armazenamento.

 

12. Leite

 

12.jpg

 

Já congelámos leite em cuvetes para adicionar ao chá. Deu um jeitão!

 

13. Batatas

 

13.jpg

 

Quando vamos à terra trazemos sempre o que mais parece uma tonelada de batatas. Já tentámos congelá-las e depois descobrimos que a melhor forma é dar-lhe uma fervura primeiro e deixá-las arrefecer antes de as armazenarmos no congelador.

 

14. Vinho

 

14.jpg

 

Cada vez que nos sobra vinho de algum jantar que damos cá em casa, em vez de o deitarmos fora, colocamos em cuvetes e guardamos no congelador. Dá imenso jeito na hora de cozinhar!

 

E vocês, que alimentos congelam?

Partilhem comigo as vossas experiências!

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

 

 

18
Mai17

Cuidados a ter com a sua escova de dentes

Anita

0.png

 

A escova de dentes é a protagonista principal quando falamos de higiene dentária. Em parceria com o fio dentário e a pasta de dentes, a escova é responsável pela eliminação de resíduos de alimentos e placa bacteriana, garantindo a saúde da sua boca.

 

São vários os estudos que comprovam que podemos encontrar, na nossa escova de dentes, vírus, bactérias, restos de alimentos, sangue, células mortas e até mesmo vestígios de fezes.

 

Confira dez cuidados essenciais a ter com a sua escova de dentes.

 

1. Evite o contato entre escovas de dentes

 

1.jpg

 

"Juntar as escovas de dentes" só serve se estivermos a falar de duas pessoas irem morar juntas. Nunca devemos deixar que duas (ou mais) escovas de dentes entrem em contato uma com a outra pois o simples toque entre elas cria uma ponte de bactérias podendo desencadear contaminações cruzadas.

 

2. Invista num porta escovas de dentes

 

2.jpg

 

Para evitar o contato entre as escovas de dentes invista num porta escovas de dentes com diferentes orifícios onde cada habitante da casa poderá colocar a sua escova de dentes. Guardar as escovas desta forma permite ainda que a água escorra evitando a humidade e proliferação de bactérias. 

 

3. Lave a sua escova de dentes antes e após cada utilização

 

3.jpg

 

Lavar a escova de dentes antes de cada utilização remove os germes e restos de comida que possam ainda se encontrar na mesma. Após cada utilização, é recomendado que a lave em água abundante ou que a deixe durante alguns minutos mergulhada em elixir oral retirando, no final, o máximo de água que conseguir.

 

4. Nunca partilhe a escova de dentes

 

4.jpg

 

A escova de dentes é um objeto pessoal e intransmissível. Não a partilhe com ninguém, nem mesmo com o seu marido ou filhos. Para prevenir a contaminação de doenças infecciosas, cada um deverá ter a sua própria escova de dentes.

 

5. Troque de escova de dentes a cada três meses

 

5.jpg

 

Diversos estudos demonstram que as escovas de dentes se tornam menos eficazes na remoção da placa bacteriana após três meses de utilização regular. Além disso, é muito importante trocar de escova de dentes regularmente devido à proliferação de bactérias de que a mesma é alvo. Se as cerdas da escova se começarem a deformar substitua de imediato a escova de dentes uma vez que assim evitará aplicar demasiado esforço aquando da lavagem dos dentes. E você, há quanto tempo tem a sua escova de dentes? 

 

6. Não use capinhas protetoras

 

6.jpg

 

A escova de dentes deve secar ao ar livre para impedir que fique húmida e assim crie mais bactérias pelo que o uso de capinhas protetoras não é aconselhável porque a escova não seca corretamente.

 

7. Escova de viagem ou de mala

 

7.jpg

 

Quando transporta uma escova de dentes, armazene-a numa caixinha própria para evitar que as cerdas se deformem quando em contato com outros objetos. Estas caixinhas de transporte permitem ainda mantê-la mais limpa mas não a livram de bactérias pelo que antes de cada utilização deverá lavar a sua escova e após cada utilização lavar não só a escova como a caixinha de transporte. Quando guardamos as escovas nestas caixinhas ela não seca corretamente pelo que deverá ser substituída com maior frequência. 

 

8. Escova de dentes e sanita não combinam

 

9.jpg

 

Sempre que puxa o autoclismo da sua sanita são muitos os germes (e vestígios de fezes!) que se espalham pelo ar da sua casa de banho por isso tenha em atenção alguns aspetos. Deverá puxar o autoclismo sempre com a tampa da sanita para baixo. A tampa da sanita deve manter-se para baixo após cada utilização. Por fim, mantenha a sua escova de dentes a pelo menos um metro de distância da sanita para que se depositem o mínimo possível de germes na escova de dentes.

 

9. Troque de escova após uma gripe ou infeção na boca

 

10.jpg

 

Segundo os especialistas em higiene dentária a substituição da escova de dentes após uma gripe ou uma infeção bucal é uma medida preventiva que impede que os germes que se possam alojar nas cerdas provoquem uma reinfeção.   

 

10. Tenha muita atenção ao sangue na sua escova

 

11.jpg

O sangramento das gengivas é um assunto muito sério. Grande parte da população sofre de Gengivite, o que é uma porta aberta para a entrada de bactérias na corrente sanguínea. Se sofre deste problema, consulte o seu dentista.

 

12.jpg

 

E vocês, quais os cuidados que têm com a vossa escova de dentes?

Partilhem comigo!

 

(Imagens retiradas da Internet

 

16
Mai17

A Casa da Roupa Branca

Anita

0.png

 

Cá em casa está oficialmente aberta a época da roupa branca. Adoramos! O que não gostamos mesmo nada é quando ela fica manchada, sobretudo quando começa a amarelar (por mais que se lave!). Mas com o tempo, fomos aprendendo a tratar melhor da nossa roupa branca para mantê-la sempre bonita! 

 

Confira algumas dicas que garantem que a roupa branca se mantenha sempre branca.

 

1. Aspirina

 

1.jpg

 

Parece estranho, é verdade, mas a Aspirina não nos salva só da dor de cabeça. Este comprimido, na sua versão efervescente, é um verdadeiro milagroso no que toca a deixar a sua roupa sempre branca e, especialmente, a eliminar aquelas tão chatas manchas de suor! Junte três comprimidos num copo de água e coloque esta mistura na roupa, deixe atuar durante cerca de duas horas e em seguida lave normalmente.

 

2. Limão e Água Óxigenada

2.png

 

Corte rodelas de limão e coloque-as sobre as manchas das suas roupas brancas. Em seguida junte água, de modo a cobrir a roupa e uma colher de Água Óxigenada deixe atuar durante cerca de uma hora e em seguida lave-a na máquina de lavar.

 

3. Amoníaco e Água Óxigenada

3.png

 

O Amoníaco pode encontrar facilmente em qualquer drogaria e é um verdadeiro salvador da roupa no que toca a manchas mais difíceis (como sangue, por exemplo). Junte quatro gotas de Amoníaco e uma colher de Água Óxigenada a dois litros de água, deixe atuar na sua roupa durante cerca de duas horas e em seguida lave normalmente.

Atenção: O Amoníaco é um produto tóxico por isso utilize luvas de borracha e faça este processo num local bem ventilado. 

 

4. Detergente

 

4.jpg

 

Esta mistura não serve propriamente para eliminar manchas mas, sem dúvida, deixa as suas roupas mais brancas. Misture partes iguais de detergente em pó e detergente líquido e coloque esta mistura na máquina de lavar. Surpreenda-se com o resultado!

 

5. Limpa-vidros

 

5.jpg

 

Alguma vez sujou a sua roupa com tinta de caneta? Se voltar a acontecer, não entre em pânico! Coloque um guardanapo por baixo da mancha de forma a não molhar o tecido que estiver por baixo, coloque limpa-vidros sobre a nódoa e deixe atuar durante cerca de cinco a dez minutos colocando, de seguida, a roupa na máquina de lavar.

 

6. Gás de isqueiro

 

6.jpg

O meu marido passa a vida a sujar a roupa com óleo! Também acontece por aí? Se acontecer, deite um pouco de gás de isqueiro sobre a nódoa de óleo e espere que este evapore. Repita o processo até ver que a nódoa desapareceu e, em seguida, lave normalmente.

 

7. Giz

7.jpg

 

Manchas de gordura? Esfregue giz sobre as manchas, o giz irá absorver a gordura e em seguida lave a roupa normalmente.

 

8. Detergente, Água Óxigenada e Bicarbonato de Sódio

 

8.jpg

 

Outro problema chato que acontece muito ao meu marido: Manchas nos colarinhos. Para retirar estas manches misture quatro porções de Água Óxigenada, com duas colheres de detergente para a roupa e uma colher de Bicarbonato de Sódio, esfregue os colarinhos com o auxílio de uma escova de dentes e em seguida lave as camisas normalmente.

 

9. Ácido Bórico

 

9.png

 

Outro produto que encontra facilmente nas drogarias. Infelizmente hoje em dia há cada vez menos drogarias e fazem-nos tanta falta! O Ácido Bórico elimina as manchas de suor que se entranham na nossa roupa e que a tornam tão feia!  Misture uma colher de Ácido Bórico com água e coloque nas manchas deixando atuar cerca de quinze a vinte minutos. Em seguida lave a roupa na máquina de lavar e respire de alívio porque salvou uma peça de roupa! 

 

10. Pão de Forma

10.jpg

 

Esta dica é especialmente para as senhoras! Não se preocupem mais com as manchas de batom e maquilhagem na vossa roupa branca. Parece um pouco estranho, é verdade, mas tentem fazer uma bolinha pequena com o pão e pressionem sobre a mancha tendo o cuidado de não a espalhar. Em seguida lave a roupa normalmente e voilá, adeus manchas!

 

(Imagens retiradas da Internet)

Conheciam estas dicas?

Que outras utilizam?

Partilhem comigo!

12
Mai17

Hygee, viver feliz nas pequenas coisas

Anita

0.png

 

O ditado não é nosso mas é bem conhecido de todos: "There's no place like home". Não existe local como a nossa casa, o nosso porto de abrigo que nos acolhe e ao mesmo tempo nos protege. Os ingleses sabem como ninguém fazer esta distinção já que para eles "house" é uma coisa e "home" é outra, muito embora ambas as designações se refiram à nossa casa.

 

Os povos nórdicos têm-nos invadindo com o seu design apurado e extremamente funcional mas, no ano passado fomos introduzidos ao termo Hygee (lê-se hu-ga) pelos dinamarqueses, considerados, aliás, dos povos mais felizes do mundo pelo Relatório Mundial da Felicidade da ONU.

 

Leia com atenção enquanto imagina aquela sensação de estar no sofá, envolvido numa mantinha quentinha enquanto bebe um chocolate quente ou o seu chá preferido e conversa com os seus amigos. A televisão, essa, encontra-se desligada e apenas uma música leve serve de pano de fundo para a vossa serena conversa. Feche os olhos, respire fundo. Já sabe do que estamos a falar? Isto é o Hygee.

 

A palavra é uma característica da cultura dinamarquesa (tal como a palavra "Saudade" em Portugal) desde o século XVIII mas é impossível de traduzir numa só palavra. No entanto, foi umas das palavras do ano de 2016 para o dicionário Oxford que a explica desta forma: "uma qualidade de convívio acolhedor e confortável que gera um sentimento de contentamento ou bem-estar". Segundo os muitos livros já publicados sobre o tema, entre os quais o livro "O Livro do Hygee - O segredo dinamarquês para ser feliz" de Meik Wiking, CEO do The Happiness Research Institute, foi introduzida no século XVIII como uma derivação do termo norueguês para “bem-estar”, sendo um modo de vida que junta um misto de aconchego com convívio, nostalgia, tranquilidade, simplicidade e comida reconfortante. No fundo, viver feliz nas pequenas coisas. Não se vê, dificilmente se explica mas é um verdadeiro apelo aos sentidos. Estará aqui a chave para a Felicidade? Não sabemos mas enquanto tentamos saber podemos ir tirando o máximo partido do nosso dia a dia. 

 

1.jpg

*Imagem retirada do Pinterest

 

 

10
Mai17

Dicas de Organização

Anita

0.png

 

Dica 16 - Reaproveite a antiga tábua de passar a ferro numa original estante de costura.

 

1.jpg

 

Dica 17 - Cole um autocolante cortado ao meio no interior dos ténis do seu filho para que ele diferencie o direito do esquerdo e assim se possa calçar sozinho.

 

2.jpg

 

Dica 18 - Dê um novo uso à fruteira lá de casa e coloque-a no varão da banheira para guardar os produtos do banho.

 

3.jpg

 

Dica 19 - Tem vinis antigos que já não ouve? Faça uma estante de parede para revistas e jornais! 

 

4.jpg

 

Dica 20 - Use os Legos antigos do seu filho de forma original! Quem disse que a decoração tem que ser chata?

 

5.jpg

 

Vamos aplicar nas nossas casas? 

 

 

 

 

 

08
Mai17

Aumente o seu tempo

Anita

0.png

 

"Tempo é dinheiro" já diz o ditado.

Se perguntar às pessoas à sua volta a maioria vai dizer que precisaria de umas horinhas extra no seu dia para poder corresponder aos seus compromissos.

Mas será que não temos tempo ou não o administramos da melhor forma?

Neste post irá encontrar 10 dicas de produtividade que o ajudarão a economizar tempo. Ora veja...

 

1. Aproveite ao máximo o caminho de ida e volta para o trabalho

 

1.jpg

 

Vai e vem do trabalho de transportes públicos? Porque não aproveitar o tempo da viagem para fazer pequenas coisas tais como agendar uma consulta, fazer compras online, ligar aos amigos ou pagar as contas? Muito mais eficiente do que gastar o tempo todo a ver redes sociais.

 

2. Escolha a sua roupa no dia anterior

 

2.jpg

 

Lá estou eu a bater na mesma tecla! A verdade é que esta simples dica dá-nos preciosos minutos de manhã que podemos aproveitar para dormir ou demorar um pouco mais a tomar o pequeno almoço com a nossa família. Para além de que permite que o dia não comece de modo stressante... Na noite anterior espreite a meteorologia e separe a roupa que irá vestir no dia seguinte.

 

3. Separe blocos do seu dia para as redes sociais e cumpra!

 

3.jpg

 

Ir às redes sociais é realmente tentador no entanto interrompe constantemente o nosso ritmo do dia. E que tal criar pequenos blocos de tempo ao longo do dia destinados a este propósito e esforçar-se para ir às redes sociais só no tempo estipulado anteriormente? A vida offline merece muito mais a nossa atenção!

 

4. Comer, dormir e fazer exercício físico: a tríade do bem-estar físico e psicológico 

4.jpg

 

Na correria do dia-a-dia é muito fácil saltarmos refeições, dormirmos pouco e não praticarmos exercício físico mas o tempo que ganha agora perde-o mais tarde em consultas no médico por isso pense bem se vale a pena penhorar o seu bem-estar. 

 

5. A regra dos 2 minutos

 

5.jpg

 

Uma das regras mais importantes do método de produtividade GTD (Get Things Done) é realizar tarefas rápidas (que demorem menos de 2 minutos) no exato momento em que elas aparecem. Como não requerem muito esforço é sempre melhor resolvê-las logo para que acumuladas não lhe consumam muito tempo.

 

6. Anote tudo 

6.jpg

 

Para quê gastar o cérebro se pode gastar a tinta da caneta? Não confie unicamente na sua memória porque ela às vezes pode falhar e por isso vá anotando num caderno tudo o que tem para fazer e riscando o que já fez. Porque não aproveita para planear o seu dia na noite anterior? Ao anotar as tarefas que tem para fazer conseguirá mais fácilmente priorizá-las e fazer um plano mais eficiente do seu dia.

 

7. Faça pausas

 

7.jpg

 

Fazer pausas é uma forma intuitiva de poupar tempo. Embora aparentemente ache que ao fazer pausas está a perder tempo, a verdade é que está a poupar tempo uma vez que ao recarregar as suas baterias estará a diminuir o stress e a evitar a exaustão.

 

8. Limpe um pouco todos os dias

 

8.jpg

 

Se limpar a casa todos os dias mesmo que superficialmente irá economizar muito tempo quando tiver que fazer limpezas a fundo porque a casa não estará tão suja.

 

9. Menos TV, mais diversão!

 

9.jpg

 

Sabe muito bem ficar em frente à TV nem que seja a fazer zapping mas se abdicar deste tempo uma ou duas noites por semana poderá usá-lo para fazer outras atividades mais divertidas com os seus filhos ou namorar mais com o seu marido.

 

10. Aprenda a dizer "Não!"

 

10.png

 

De nada serve se esforçar para otimizar o seu tempo se depois perde tempo a fazer as tarefas das outras pessoas. Analise os pedidos que lhe fazem, não aceite abusos e comprometa-se apenas com as tarefas extra que poderá encaixar no seu dia-a-dia sem abrir mão do tempo que precisa para si.

 

E vocês, como usam o vosso tempo?

Partilhem as vossas opiniões!

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub