Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Anita Descomplica

Organizar nunca foi tão fácil. Complica? A Anita descomplica!

Anita Descomplica

28
Ago17

Dicas de Organização

Anita

0.png

 

Dica 21 - Tem fronhas que já não usa? Não as deite fora.... Aproveite para proteger algumas roupas.

 

1.jpg

 

Dica 22 - Utilize um copo plástico para armazenar lenços de papel. Assim poderá colocá-lo no carro no local próprio para os copos e ter lenços sempre à mão.

 

2.jpg

 

Dica 23 - Organize a sua maquilhagem com imans e prenda-a sempre à mão num quadro próprio para o efeito.

 

3.png

 

Dica 24 - Tem pouco espaço para armazenar sapatos? Coloque-os arrumados em posição inversa para poupar espaço.

 

4.jpg

 

Dica 25 - Forre uma caixa organizadora de revistas e coloque no seu interior os aparelhos para tratamento de cabelo. Fica tão bonito e organizado!

 

5.jpg

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

Vamos aplicar nas nossas casas?  

26
Ago17

Como lavar a máquina da loiça

Anita

0.png

 

Ao contrário do que pensamos, lá porque a máquina da loiça lava não quer dizer que esteja sempre limpa. Lavar a máquina da loiça é um passo indispensável para o seu correto funcionamento uma vez que acumula muitos resíduos de alimentos e gordura proveniente dos restos de comida que provocam maus cheiros e prejudicam o desempenho da mesma, chegando até a danificá-la.

 

Se quer preservar a sua máquina da loiça siga estes passos.

 

1. Limpeza semanal

 

1.jpg

 

Para que a sua máquina da loiça funcione melhor deverá lavá-la uma vez por semana. Não se assuste porque basta 5 minutos para realizar esta tarefa. Comece por retirar o filtro de acordo com as instruções da máquina e lave-o em água corrente e, se necessário, use uma escova macia para remover sujidade acumulada. Volte a colocar o filtro no local não se esquecendo de confirmar que fica bem trancado. Em seguida, com ajuda de um palito, verifique se os buracos das hélices estão desimpedidos de resíduos. Por fim, prepare uma solução de água quente e vinagre, mergulhe um pano na mistura e, após escorrer o excesso de água, limpe as laterais da porta da máquina e as borrachas.

 

2. Limpeza mensal

 

2.jpg

 

Uma vez por mês, faça uma limpeza mais profunda à máquina. Comece por retirar todas as peças removiveis da máquina e coloque-as de molho em água quente e vinagre. Em seguida, limpe o interior da máquina com um pano húmido e uma escova de dentes velha para ajudar nos cantos. Volte a colocar todas as peças de volta na máquina e para ajudar na eliminação de fungos, faça o processo de lavagem da máquina com água em temperaturas elevadas e sem loiça no seu interior. Basta para isso colocar uma tigela de vidro com vinagre na prateleira de cima e espalhar bicarbonato de sódio por todo o interior da máquina.

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

E vocês, têm por hábito lavar a máquina da loiça?

 

 

 

 

 

24
Ago17

Como manter a casa mais fresca no verão

Anita

0.png

 

 Se por um lado, as temperaturas mais altas, próprias desta época do ano, convidam a atividades ao ar livre ou a nos refrescarmos no mar ou na piscina, por outro lado podem transformar as nossas casas em verdadeiros "fornos".

  

As altas temperaturas que se fazem sentir dentro de algumas casas tornam as habitações desconfortáveis. Em alguns casos, os moradores nem conseguem dormir bem à noite devido ao calor que se faz sentir.

 

Para evitar que tal aconteça veja algumas dicas que permitem manter a sua casa mais fresca durante o verão.

 

 

1. Mantenha as janelas, estores, portadas, persianas e cortinas fechadas durante as horas de mais calor

 

1.png

 

Para manter a casa mais fresca no verão, o melhor é mesmo manter as janelas, os estores, as persianas e as cortinas fechadas durante as horas de maior calor sendo que o ideal seria abri-las só durante a noite quando as temperaturas estão mais frescas. Assim, evita que a luz solar e consequentemente o ar quente entre diretamente na sua casa, livrando-se do "efeito estufa" que se sente nas casas nas horas de mais calor.

  

2. Opte por lâmpadas fluorescentes compactas ou lâmpadas LED

 

2.png

 

Se usa lâmpadas incandescentes, está na hora de trocá-las por lâmpadas fluorescentes compactas ou lâmpadas LED, isto porque as lâmpadas incandescentes não só emitem mais calor como também gastam mais energia, chegando mesmo a desperdiçar 90% da energia que é libertada para o interior da casa sob a forma de calor.

 

3. Use e abuse das plantas

 

3.png

 

Para além dos benefícios que já vimos antes relacionados com a purificação do ar, as plantas também ajudam a manter a sua casa mais fresca uma vez que humedecem o ambiente, fazendo com que a temperatura no interior da sua casa baixe.

  

4. Acabaram-se os assados para o jantar

 

4.png

 

Nenhuma divisão da sua casa gera tanto calor como a cozinha. Para além dos eletrodomésticos que tem ligados e que são verdadeiras fontes de calor, no verão deveriamos optar por cozinhar comidas ou saladas frias em alternativa a cozinhados feitos no forno. Opte também por deixar a loiça secar ao ar livre ao invés dos programas de secagem da máquina de lavar loiça. 

 

5. Opte por paredes claras

 

5.png

 

A cor das suas paredes, para além das implicações que tem ao nível da iluminação natural da sua casa, também influencia a temperatura interior. Se por um lado as cores escuras ou mais fortes absorvem mais luz e consequentemente geram mais calor, por outro, as cores mais claras absorvem menos luz e tornam os ambientes mais frescos.

Há uma razão para que de um modo geral as casas mediterrânicas e em particular nas nossas regiões mais quentes (Alentejo e Algarve) as casas tradicionais são fundamentalmente brancas: O branco reflecte o calor.
Investigadores nos EUA, concluíram que, se nas cidades americanas fossem utilizados materiais claros ou refletores na cobertura dos telhados, seriam poupados biliões de dólares todos os anos assim como uma significante redução no aquecimento global.

 

6. A climatização pode ser a solução

 

6.png

 

 

Se a sua casa é daquelas que no verão se torna insuportável com o calor, talvez as soluções mais simples não funcionem. Nesse caso, o melhor será optar por um sistema de climatização, que permita uma adaptação rápida da temperatura. Escolha o mais adequado à sua casa – ar condicionado, ventiladores, refrigeradores por evaporação ou piso radiante - para que o ambiente fique mais agradável.

 

As ventoinhas são uma opção mais económica, no entanto têm de ser colocadas estrategicamente para se tornarem eficazes. De acordo com o Laboratório Nacional de Energia Renovável dos EUA, as ventoinhas devem ser colocadas a, pelo menos, dois metros do chão. Se o seu quarto tiver mais do que cinco metros quadrados deve usar mais do que uma ventoinha.

Dica: Coloque uma taça com água gelada, ou com cubos de gelo em frente a uma ventoinha. À medida que o gelo derrete e a água evapora, criará uma agradável sensação de frescura no ar em redor.

 

 7. O chão também ajuda

 

7.png

 

A oferta de pisos hoje em dia é infinita, no entanto há algums mais adequados a ambientes quentes e outros a  frescos. Os pisos de cerâmica e pedra são os mais apropriados. De acordo com a divisão que se trata, com o seu gosto e com o estilo da casa, pode optar pelos mármores, granitos, pela tijoleira, azulejos ou até pela pastilha. Assim, os espaços, além de frescos, vão ficar mais leves e agradáveis.

 

 8. Deixe a porta do quarto aberta durante a noite

 

8.png

 

Abra a porta do quarto e as janelas durante a noite: se dormir com a porta ou as janelas do quarto fechadas vai estar a aprisionar o ar quente do dia dentro do seu quarto e a condená-lo a uma noite quente e provavelmente insuportável.

 

9. Isolar é muito importante 

 

9.png

 

Umas das melhores e mais baratas estratégias a longo-prazo para manter a temperatura da sua casa é o isolamento térmico. Quando pensamos em isolamente lembramo-nos do inverno e em manter o calor dentro de casa mas o mesmo se aplica no verão para manter o calor afastado de casa.

 

10. Evite ao máximo o vapor 

 

10.jpg

 

No verão evite tomar banhos demorados durante o dia e reduza o uso de máquinas de lavar e de secar para evitar a propagação de vapor que causa humidade e consequentemente calor. Manter as tampas das panelas fechadas enquanto cozinha também é uma boa ajuda.

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

E essas casas? Estão fresquinhas?

Partilhem comigo!

 

 

 

 

23
Ago17

Ai que coisa mais linda... mais cheia de graça

Anita

Sem Título.png

 

 

 Tal como a "Garota de Ipanema", há peças para a casa que são de cortar a respiração. "Ai que coisa mais linda... mais cheia de graça" é a nova rúbrica do blog. 

 

E para começar em grande, apresento-vos o Cadeirão "Mickey Mouse Club Chair and a Half by Ethan Allen". Senta duas pessoas, graças aos nichos onde assentam as almofadas, que são na realidade as orelhas do Mickey. É simplesmente divinal! Pena ser tão caro! Tivesse eu espaço e dinheiro e viria um em vermelho lá para a sala!

 

1.png

 

2.jpg

 

3.jpg

 

E a magia não termina com o cadeirão! A colaboração da Disney com Ethan Allen oferece aos fãs toda uma gama de produtos para a casa. 

Confira mais algumas peças inspiradas em Mickey.

 

4.png

 

(Imagens retiradas da Disney Store)

 

Que acham?

 Teriam alguma destas peças na vossa casa?

 

 

26
Jul17

Produtos de limpeza que não se devem misturar

Anita

Produtos de limpeza que não se devem misturar.png

(Imagem retirada da Internet)

 

Este post é de extrema importância e é pena que muitas vezes tenhamos que passar por alguma experiência dolorosa para nos apercebermos da gravidade de alguns assuntos.

 

Misturar produtos de limpeza diferentes é um desses assuntos.

 

Há uma variedade tão alargada de produtos de limpeza e com carateristicas tão distintas que muitas vezes os misturamos sem termos consciência que poderemos estar a cometer um erro grave. E a troco de termos uma casa extremamente limpa, provocamos reações químicas, algumas delas prejudiciais à nossa saúde e à dos nossos familiares.

 

Para alertar para esta situação, deixo algumas dicas a ter em conta da próxima vez que estiver prestes a misturar produtos de limpeza.

 

1. Desentupidores de canos diferentes

 

2.jpg

 

Quando falamos de canos entupidos falamos de uma situação problemática e não apenas de uma simples limpeza e como muitas vezes esta situação chega a ser desesperante e acabamos por cometer erros como misturar dois ou mais desentupidores de canos diferentes que embora tenham a mesma finalidade podem ter composições químicas distintas que podem não reagir bem juntas. Não se deve sequer usar dois tipos de produtos para desentupir canos diferentes sendo que se o primeiro não funcionar deverá chamar um canalisador e nunca colocar outro diferente cano abaixo.

 

2. Bicarbonato de sódio e vinagre

 

1.jpg

 

Sabem bem como sou fã de bicarbonato de sódio e de vinagre que podem ser autênticos milagreiros da limpeza. No entanto, uma vez que o bicarbonato de sódio é uma substância básica e o vinagre é uma substância ácida, quando misturados geram essencialmente água e um sal denominado acetato de sódio ou seja eliminam as propriedades de limpeza um do outro. Para além deste factor, o vinagre provoca a libertação de uma espuma no bicarbonato de sódio que se armazenada num recipiente fechado pode causar uma explosão (mas isto só acontece se a mistura for armazenada num recipiente fechado, quando feito ao ar livre a mistura não é perigosa ou não tivessemos nós já utilizado esta mistura antes para fazer explodir um vulcão nos trabalhos de ciências da escola).

 

3. Água oxigenada e vinagre

 

3.png

 

Quando misturados, estes dois produtos dão origem a ácido peracético, um composto tóxico e que, em elevadas concentrações, pode provocar irritações na pele, olhos e sistema respiratório. Quanto muito podemos pulverizar as superfícies com cada um deles em separado, limpando entre as aplicações.

 

4. Lixívia e vinagre

 

4.png

 

Esta é a primeira de três misturas com lixívia que não se deve fazer nunca. Juntos produzem gás cloro, um vapor amarelo-esverdeado que, mesmo em pequenas quantidades, pode provocar tosse, ardor nos olhos e problemas respiratórios.

 

5. Lixívia e amoníaco

 

5.png

 

Misturados produzem cloroamina, um gás tóxico que pode causar tosse, ardor nos olhos ou problemas respiratórios. Não se esqueça de ler sempre os rótulos das embalagens uma vez que são muitos os desinfetantes que contém amoníaco e são muitos os detergentes que contém aminas (substâncias derivadas do amoníaco) fazendo com que possa acidentalmente misturar estes dois compostos como acontece quando limpamos o lava-louça com lixívia logo depois de lavar a louça sem enxaguar os restos de detergente que ficaram.

 

6. Lixívia e álcool etílico

 

6.png

 

Quando misturados, produzem clorofórmio, que já todos nós conhecemos dos filmes onde acontece um rapto e o raptor quer deixar a vítima inconsciente). Esta mistura pode até não o fazer desmaiar mas é bastante irritativa, tornando-se desagradável.

 

Nunca se esqueça:

Para a sua segurança, nunca misture produtos de limpeza, nem mesmo produtos da mesma espécie, mas que sejam de marcas diferentes. Vale a pena lembrar que deve manter todos esses produtos fora do alcance de crianças e animais e que as embalagens nunca devem ser reutilizadas.

7.jpg

 (Imagens retiradas da Internet)

 

 

E vocês, alguma vez tiveram alguma má experiência com limpezas?

Partilhem comigo! 

 

 

 

21
Jun17

Plantas purificadoras do ar

Anita

0.png

 

Cultivar plantas em casa é uma ótima forma de decorar e tornar o seu espaço mais aconchegante, além de, claro, serem uma distração (quase uma terapia!) para as horas vagas. Mas sabia que as plantas, além de deixarem o ambiente de qualquer casa mais alegre ainda podem purificar o ar?

 

Em 1989, a NASA fez um estudo para determinar quais as plantas mais indicadas para cumprir essa função purificadora em ambientes fechados e assim tornar a nossa casa mais saudável. Esta pesquisa levou em consideração vários poluentes do ar como o xileno, o benzeno, o amoníaco, o tricloroetileno e o formaleido que normalmente estão presentes nas nossas casas e escritórios. Desse estudo resultou o livro "How to Grow Fresh Air" do Dr. Bill Wolverton.  

 

Mas porque temos estes poluentes nas nossas casas? Existem inúmeras substâncias químicas dentro de casa libertadas pelas carpetes, pinturas, móveis e aparelhos de entretenimento. Em suma, os nossos organismos estão expostos diariamente a micro poluentes, uma vez que, em média, 90% do ar que respiramos provem de espaços fechados. Por isso é conveniente arejar a sua casa ou local de trabalho pelo menos dez minutos por dia. A introdução de plantas nesses espaços vai ajudar a melhorar a qualidade do ar ( e pode ser uma boa ajuda no Inverno, quando o tempo não permite o arejamento dos edifícios).

 

Mas não precisa de transformar a sua casa numa selva. Normalmente chega colocar uma por cada dez metros quadrados. Além disso, o excesso de plantas pode ter o efeito contrário ao pretendido, devido ao excesso de humidade.

 

Confira 20 plantas que purificam o ar:

 

1. Planta Jibóia ou Hera do Diabo (Epipremnum aureum)

 

Planta Jiboia ou Hera-do-diabo.jpg

 

A Planta Jibóia ou Hera do Diabo é uma planta trepadeira que possui espécies provenientes de diferentes regiões. Podem ser cultivadas dentro de casa, em vasos, jardins ou em redor de árvores. É muito resistente e não requer grandes cuidados uma vez que se adapta bem a locais sem sol, só precisa de ser regada se estiver seca e, dependendo da espécie adquirida, podem exigir podas constantes a fim de evitar qualquer dano na pintura das paredes ou que ocupem muito espaço além do limite do vaso. Se for colocada em vasos suspensos cria um efeito cascata bastante bonito.

Esta planta trepadeira não é indicada para quem tem crianças ou animais de estimação em casa por ser tóxica quando ingerida.

Remove todos os tipos de compostos orgânicos voláteis sobretudo o formaldeído, xileno e benzeno.

 

2. Lírio da Paz (Spathiphyllum)

 

Lírio da Paz.jpg

 

É considerada uma das melhores plantas purificadoras de ar, o Lírio da Paz é conhecido por reduzir as toxinas internas das residências que são prejudiciais à saúde, ajudando também a remover substâncias como formaldeído e benzeno do ar e ainda destrói os esporos do bolor. 

Para além de ser um humificador natural, é uma planta que sobrevive bem com pouca luz e pouca água e tem grande longevidade. No entanto, recomenda-se que seja mantida longe de correntes de ar pois não gosta de áreas frias.

É uma planta tóxica, não aconselhada a quem tem crianças ou animais de estimação em casa.

 

3. Palmeira Dama (Raphis excels)

 

Palmeira-dama.jpg

 

A Palmeira Dama, também conhecida como Palmeira-ráfis é originária da Ásia e pode chegar a até 3 metros de altura. Os japoneses foram os primeiros a utilizá-la como planta ornamental de interior para adornar o Palácio Imperial, sendo, hoje em dia, muito popular na decoração de escritórios, lojas, eventos e salas de estar. Deve ser cultivada em áreas com temperaturas amenas e sem luz direta.

De acordo com a NASA, encarrega-se de eliminar do ar o formaldeído, xileno e amoníaco.

 

4. Espada de São Jorge ou Língua da Sogra (Sansevieria trifasciata)

 

Língua da Sogra (também espada de são jorge).jp

 

Esta planta de origem africana é bastante utilizada na decoração de interiores, sobretudo por ter a vantagem de sobreviver bem em condições desfavoráveis pois é extremamente resistente, podendo aguentar temperaturas muito quentes (até 40ºC) e muito frias (-5ºC) se esses extremos ocorrerem de maneira esporádica e possui uma grande capacidade para perdurar em ambientes fechados, com pouca luz e húmidos. Requer ainda poucos cuidados, tolera solos com baixa fertilidade e deve ser regada com pouca frequência. Apesar de ser uma sobrevivente nata, a Espada de São Jorge desenvolve-se rapidamente e portanto é preciso retirar as folhas com certa frequência.

Esta planta é uma das melhores formas de absorver e filtrar formaldeídos (presentes em tecidos sintéticos, carpetes e madeiras e muito comum em produtos de limpeza, papel higiénico e produtos para cuidados pessoais), benzeno (presente em tintas e cigarros), xileno e tricloroetileno (normalmente usado como solvente industrial), sendo que também absorve poluentes atmosféricos, como o óxido de nitrogénio

Dado que é uma planta tóxica, deve-se ter algum cuidado se na sua casa houver crianças ou animais de estimação.

 

5. Clorofito ou Planta Aranha (Chlorophytum comusum)

 

Planta Aranha ou Clorofito.jpg

 

A Planta Aranha, também conhecida como Clorofito, é uma planta ótima para cultivar em interiores, pois é resistente e bastante fácil de cuidar. As suas raízes são carnudas devido à acumulação de água e por esse mesmo motivo é capaz de resistir a períodos de poucas regras. Gosta de luz forte, podendo receber luz direta desde que não seja nas horas de calor intenso. É uma planta que dificilmente morre mesmo que esteja num local de pouca luz e que se esqueça frequentemente de a regar. Mas se a quiser sempre bonita, especialmente no verão, não deve deixar a terra secar por completo para impedir que as folhas fiquem escuras nas pontas e por isso à noite, polverize-a com um borrifador. Dá flores brancas e discretas, no entanto a folhagem pendente e elegante já garante toda a beleza a esta planta.

Tem um efeito melhor ainda se for colocada na cozinha ou perto da lareira, uma vez que estes são os locais onde mais se acumulam monóxido de carbono. Também ajuda a remover formaldeído, xileno e benzeno.

 

6. Dracena ou Pau d'Água (Dracaena fragrans)

 

Pau d’água.jpg

 

A planta conhecida como Pau d’Água pertence ao género Dracena e é caraterizada por folhas verdes e longas e pode ser mantida em vasos grandes e áreas iluminadas mas também resiste bem a locais mais sombreados, como o interior de salas.

As dracenas apresentam inúmeras variações de espécie, são bastante usadas em paisagismo e decoração de interiores, além de possuírem a capacidade de retirar poluentes do ar. No geral, as espécies se destacam por suas folhas ornamentais, as quais variam em formato e cor de acordo com o tipo.

 

7. Dracena de Madagáscar (Dracaena marginata)
 

Dracena de Madagáscar.jpg

 

Uma outra espécie de Dracena que merece destaque é a Dracena de Madagáscar. Possui folhas mais finas e pontiagudas que a Dracena anterior e é uma ótima planta para preencher cantos devido a sua ascendência vertical. Só é preciso ter em atenção o local em que é colocada pois necessita de muito sol e não tolera frio ou ventos fortes.

É considerada das melhores plantas para remoção de formaldeído, tricloroetileno e xileno (presentes em vernizes, lacas e gasolina). É a planta mais eficaz na remoção da acetona, sendo também indicada para salões de beleza.

Dado que também é uma planta tóxica, deve-se ter algum cuidado se na sua casa houver crianças ou animais de estimação.

 

8. Árvore-da-borracha (Ficus elastica)

 

Planta da Borracha.jpg

 

Esta planta é a ideal para espaços pequenos e abafados. Sobrevive com pouca luz natural e é ótima para retirar elementos poluidores do ar do espaço onde estiver colocada. Se estiver exposta a pouca luz solar o único problema será um ligeiro atraso no crescimento da planta. É muito resistente e, como tem um alto índice de transpiração, ajuda a manter a humidade do ar. Em poucos anos, ela pode crescer muito rápido. É eficiente na eliminação do benzeno, xileno, formaldeído e tricloroetileno.

 

9. Hera Inglesa (Hedera helix)

 

Hera.png

 

Largamente conhecida pela sua capacidade destruidora de exteriores, a Hera Inglesa trará benefícios quando transplantada em casa. Mantenha-a sob controlo (crescendo apenas até onde quiser) e poderá usá-la como peça decorativa e como purificadora do ar da sua casa. Um dos pontos positivos de colocar esta planta em casa é que requer pouca manutenção e dá-se bem com a divisão entre sol e sombra.

Filtra formaldeídos e reduz consideravelmente as partículas fecais que ficam no ar sendo, por isso, ideal para quem tem animais de estimação que evacuam dentro de casa.

 

10. Gerbera (Gerbera jamesonii)

 

Gerbera.jpg

 

As Gerberas são muito ornamentais e trazem delicadeza e alegria ao ambiente com suas flores coloridas. Porém esta é uma planta difícil de cultivar dentro de casa pois precisa de muito sol e solo bem adubado, sendo melhor para quem tem jardim. Opte por colocá-las frescas no seu quarto uma vez que é um ambiente onde normalmente há bastante luz e esta planta tem ainda a particularidade de melhorar o seu sono pois absorve o dióxido de carbono e emite mais oxigénio durante a noite. 

É eficiente na remoção de tricloroetileno e na filtragem do benzeno e indicada contra fumo de cigarros, cachimbos e charutos.

 

11. Crisântemo (Chrysanthemum morifolium)

 

Crisântemo.jpg

 

O Crisântemo é uma planta cultivada em vasos que apresenta flores simples e delicadas. Apesar das propriedades purificadoras e da beleza do Crisântemo, este é resultado de uma hibridação e necessita de um controle de luz e calor. Nesse sentido, é difícil de manter a espécie em casa.

Tal como as Gerberas, recomenda-se o seu uso contra o fumo de cigarros, charutos e cachimbos pois filtram o benzeno.

Dica: se quiser incentivar a abertura dos seus botões, basta colocá-la perto de uma janela aberta em que haja incidência de luz solar.

 

12. Figueira Chorão (Ficus benjamina)

 

Ficus chorão.jpg

 

A Figueira Chorão ou Figueira Benjamim é uma planta indicada para salas e escritórios com muita luz pois exige locais claros, no entanto, há que ter em atenção que não aprecia mudanças de lugar, correntes de ar frio e ar-condicionado e quando sujeita a estes fatores as suas folhas amarelam e caem, podendo rebrotar com vigor depois de resolvido o problema, sendo uma planta que dura bastante tempo.

Filtra os poluentes como o formaldeído, benzeno e tricloroetileno (presente em carpetes e móveis, daí esta planta ser tão importante em salas e escritórios) e ainda absorve o pó através das suas folhas.

 

13. Aloé Vera ou Babosa (Aloe barbadensis)

 

Aloe Vera ou Babosa.jpg

 

 É uma ótima escolha para uma janela da cozinha em que normalmente bate o sol, isto porque ela adora luz solar e cresce com facilidade mesmo com pouca água.

Além de remover o formaldeído e o benzeno, o gel que existe dentro desta planta suculenta pode ajudar a curar cortes e queimaduras. Possui diversas propriedades medicinais e está presente em muitos produtos de cuidado da pele.

Pode chegar a ter um metro de altura e para a manter pequena é necessário podar as folhas com cuidado pois são grossas e quando quebradas ou cortadas eliminam um suco viscoso e muito amargo.

 

14. Azaléia (Rhododendron simsii)

 

Azaleia.jpg

 

É uma planta de flores coloridas e ornamentais que combate o amoníaco (presente em alguns produtos de limpeza) e o formaldeído (presente na madeira compensada e na espuma de isolamento).

Para manter esta planta em locais fechados é necessário deixá-la do lado de fora de casa até que as flores se abram e só aí transferi-la para um vaso, pode chegar a dois metros de altura mas, quando cultivada em vasos, permanece pequena, com menos de trinta centímetros. Deve ser posta próxima de janelas pois necessita de muita luz e frescura para crescer de forma saudável.

É aconselhável manter longe de crianças e animais devido ao teor tóxico.

 

15. Filodendro (Philodendron oxycardium)

 

Filodendro ou Imbé.jpg

 

Pertence à mesma família da Jibóia e portanto também se trata de uma trepadeira. Possui folhas largas e verdes e por esse motivo pode ficar melhor acomodada e compor uma decoração mais equilibrada em ambientes amplos. Para ser cultivada dentro de casa é preciso um vaso grande com um suporte para apoio da planta, além de um solo adubado.

É uma planta perfeita para eliminar todo o tipo de compostos orgânicos voláteis, no entanto, pode ser tóxica se ingerida, por isso mantenha-a longe de crianças e animais.

 

16. Palmeira Bambú (Dypsis lutescens)

 

Palmeira bambu.jpg

 

A Palmeira-bambú é uma ótima opção para jardins, varandas e salas, no entanto, também floresce em espaços interiores pequenos e com sombra e produz pequenos frutos. 

Atua como humidificador natural, filtra os tricloroetilenos e o benzeno e elimina os formaldeídos (deve ser colocada perto dos móveis, pois a madeira tratada contem formaldeídos). 

O seu tamanho pode ser controlado por meio de podas e conforme vai envelhecendo produz vários troncos, os quais também é necessário podar.

 

17. Café de Salão Dourado (Aglaonema spp)

 

Café de salão dourado.jpg

 

É uma ótima planta para se cultivar dentro de casa pois cresce bem em ambientes com sombra e é muito ornamental, tanto pelas suas folhas quanto pelos seus frutos vermelhos e alaranjados. Apesar disso, a Café de Salão possui dois poréns: precisa de um solo bem adubado e portanto é preciso ter este cuidado e pode ser tóxica, deverendo ser mantida em locais fora do alcance de crianças e animais.

Filtra vários poluentes atmosféricos e com o passar do tempo também remove toxinas.

 

18. Poinsenttia ou Flor do Natal (Euphorbia pulcherrima)

 

Flor do Natal.jpg

 

Estas plantas são consideradas verdadeiros filtros de ar além de serem plantas extraordináriamente bonitas. No entanto, devem ser mantidas em ambientes com pouca ventilação e que acumulem humidade.

A seiva leitosa desta planta, em contato com a pele, provoca inflamação, dor e comichão mas, contrariamente ao que algumas pessoas pensam, não é uma planta letal.

A Poinsettia floresce no Solstício de Inverno que coincide com a proximidade do Natal, daí estar relacionada ao Natal e ser muito utilizada como decoração natalícia.

 

Curiosidade: Conta uma lenda mexicana que, uma pobre menina chamada Pepita queria, na altura do Natal, oferecer uma prenda ao Menino Jesus mas, não tendo posses para oferecer uma prenda de valor, pediu ajuda ao seu primo Pedro que a acompanhava no caminho para a igreja e que lhe disse prontamente que o tamanho e valor da oferta não é o importante mas sim o amor que depositamos na oferta que fazemos. Perante isto, Pepita recolhe pequenas flores do campo ao longo de todo o caminho e chegando à igreja, olha para o seu ramalhete e chora pela simplicidade da sua oferta na presença de tantas ofertas valiosas que visualiza. Perante o choro da criança, o singelo ramalhete transforma-se num resplandecente bouquet de flores grandiosas e de um vermelho vibrante diante dos olhares incrédulos de todos os que estava na igreja e que consideraram estar a presenciar um verdadeiro milagre.

 

19. Antúrios (Anthurium andraeanum)

 

Antúrios.jpg

 

Os Antúrios, para além de serem plantas lindíssimas, são eficazes no combate ao amoníaco presente nos produtos de limpeza. Gostam de muita luz mas sempre indireta ou difusa e não gostam de ar seco, pelo que deve afastá-los de correntes de ar e de fontes de calor muito intensas, como radiadores ou aparelhos de televisão. 

 

 20. Bromélias (Guzmania Lingulata)

 

Bromélia.jpg

 

Por fim, mas não menos importante, as Bromélias são as mais eficazes na remoção do benzeno, eliminando 92% deste gás tóxico presente nos gases de escape dos veículos a motor e no fumo dos cigarros, sendo igualmente a mais eficaz na remoção de múltiplos compostos orgânicos voláteis, sendo, por isso uma planta muito importante na purificação do ar. Além disso, uma vez que quase todas as variedades de Bromélias são plantas tropicais, estas crescem melhor em locais quentes mas sombreados e como suportam climas secos com muita facilidade não necessitam de ser regadas com frequência.

 

 

Como se pode verificar, há imensas plantas que melhoram a qualidade do ar de uma casa e isso é importante para o seu bem-estar e para a comodidade da sua família. Escolha uma ou mais das plantas apresentadas e terá, garantidamente, um melhor ambiente em sua casa. Apesar de exigirem determinados cuidados, estas plantas valem a pena e devem constar, sem dúvidas, da decoração do seu lar. Agora que conhece as espécies com capacidade de filtrar o ar que respira e um pouco sobre as particularidades de cada uma, é só escolher a que mais combina consigo para deixar a sua casa mais aconchegante e sua vida mais verde e purificada!

 

Plantas de interior.jpg

 

(Imagens retiradas da Internet

 

E vocês, têm plantas em casa?

Que plantas têm? Partilhem comigo!

 

 

 

 

 

05
Jun17

Como escolher o tapete para a sua sala

Anita

0.png

 

Os tapetes são acessórios muito importantes para complementar a decoração pois delimitam os espaços e tornam o ambiente mais bonito e aconchegante. São ainda muito práticos e versáteis e para além da sua função decorativa, ainda protegem o chão de riscos, escondem eventuais defeitos no piso, aquecem e dão conforto à sua sala e abafam os ruídos.

 

A escolha do tapete é um dos últimos itens a ter em conta quando a base da decoração já está formada e as peças maiores já se encontram no local. Mas escolher o tapete poderá ser tão ou mais desafiante que decidir os móveis para a sala, afinal as opções em material, textura, tamanho, formato e cor são inúmeras bem como a variedade em preços e processos de fabricação que podem ser artesanais ou industriais.

 

Não existem regras rígidas no que toca à escolha dos tapetes mas deve-se ter em atenção o formato, a dimensão, o estilo e as cores para que fiquem não só proporcionais ao espaço como também harmoniosos com os restantes elementos decorativos.

 

1. O tamanho importa

 

1.jpg

 

Quando escolher um tapete para a sua sala lembre-se que deve deixar espaço à volta como se de uma moldura se tratasse. As medidas não são rígidas mas rondam os 90 cm a toda a volta.

 

Comprar um tapete pronto e de medida padronizada exige mais atenção com as dimensões dos móveis e ambientes. A grande vantagem dos tapetes fabricados por medida é que estes podem ser planeados para o espaço onde serão usados tendo como resultado uma decoração mais proporcional.

 

Na sala de jantar, certifique-se que o tapete é maior que a mesa de modo a que as cadeiras fiquem acomodadas em cima do mesmo quando estão puxadas para trás. Assim sendo, para uma mesa de 12 pessoas é recomendado um tapete de pelo menos 4x3 metros enquanto que para uma mesa menor de apenas 8 a 10 pessoas já poderá optar por um modelo de 3x2,5 metros.

 

2.jpg

 

Na zona de estar o que deverá ter em conta é o tamanho do sofá. O tapete deverá ser colocado no mínimo 20cm por baixo do sofá e no máximo até metade da profundidade do mesmo, nas laterais deverá sobrar pelos menos 30cm de cada lado, acomodando poltronas e mesinhas laterais. Do lado oposto ao sofá terá o seu móvel de televisão e o tapete deverá ficar afastado do mesmo entre 5 a 15 cm. Os tapetes orientais, mais raros e atemporais, podem ser usados fora do padrão e dimensão ideal ou colocados em cima de um tapete de cor neutra.

 

3.jpg

 

2. Quantos tapetes devo colocar?

 

4.jpg

 

Relativamente à quantidade de tapetes a colocar numa sala isso dependerá, claro, das dimensões da mesma mas se a sua sala for um espaço comum para zona de estar e zona de jantar, deverá então optar por dois tapetes para que possa assim delimitar os dois espaços distintos não se esquecendo que os mesmos deverão ter um denominador comum (como a cor, a textura ou o padrão) para que o ambiente fique harmonioso como um todo. Se a sala for grande opte por mais do que dois tapetes para definir as áreas de passagem e agrupar peças de mobiliário que possam parecer dispersas.

 

3. Formatar o tapete

 

5.jpg

 

Além dos tradicionais tapetes quadrados e retangulares, os tapetes redondos e ovais têm ganho cada vez mais destaque enquanto peças decorativas que, estrategicamente pousados no chão, têm um resultado surpreendente.  Igualmente inovadores são os runners (tapetes estreitos e compridos) para animar espaços mais comprimidos.

 

7.jpg

 

Vale a pena investir em tapetes com formatos inovadores para ter um resultado surpreendente. Por isso, seja audaz e se colocar um tapete redondo na sala não faça uma disposição tradicional dos móveis. Porque não descentralizar a mesa de centro e colocar os móveis em posição assimétrica? 

No entanto, embora hoje em dia os tapetes possam assumir diferentes formatos e serem feitos por medida, avalie se essa é a opção mais indicada para si já que formatos mais originais são também de difícil adaptação a outros ambientes e podem cansá-lo mais facilmente. 

 

4. Estilo de decoração e estilo de tapete

 

6.jpg

 

Para cada ambiente existe um tapete específico sendo que ambientes mais modernos pedem tapetes coloridos, com listas ou estampados enquanto que nos mais clássicos é melhor optar por modelos mais tradicionais como os tão portugueses tapetes de arraiolos. Os tapetes orientais são atemporais e muitos são considerados verdadeiras obras de arte. São raros, delicados e inteiramente feitos à mão e combinam com qualquer tipo de ambiente pois ficam harmoniosos com ambientes contemporâneos e criam constraste em ambientes mais modernos.

 

5. A escolha da cor

 

8.jpg

 

Elemento chave na decoração da sua sala, as cores dos tapetes devem combinar com a restante decoração e podem ser usados para reforçar a base de cores contendo pelo menos uma das cores neutras presentes nas paredes ou nos têxteis da decoração por forma a conseguir um equilíbrio harmonioso ou, por outro lado, contrastar com os elementos principais da sala, dando cor e vida.

 

É certo que os tons claros se sujam com mais facilidade e frequência que os tapetes mais escuros e deverá ter em conta que os tapetes não são nem fáceis nem baratos de limpar. Se por um lado, espaços grandes e claros recebem bem tapetes escuros, espaços menores requerem que opte por cores mais claras, que ajudam a criar a ilusão de aumento do espaço.

 

6. Com ou sem padrão?

 

9.jpg

 

Não tenha receio de escolher tapetes com padrão ou de combinar um tapete liso com um de padrão mas tenha em atenção alguns detalhes. O ideal é não ultrapassar os dois padrões por divisão e, mesmo assim, é necessário criar um equilíbrio estético isto é, se o sofá tiver um pequeno padrão opte por um tapete com um padrão maior e se os cortinados ou as almofadas ostentarem um padrão pronunciado, o padrão do tapete deverá ser menor. Se pretender optar por um tapete com um padrão central, saiba que o mesmo só funciona se o mobiliário estiver disposto em torno do mesmo ou se estiver por baixo de uma mesa de vidro, caso contrário o padrão perde-se.

 

8. A relevância dos materiais

 

10.jpg

 

Os tapetes sintéticos são os mais utilizados atualmente e podem ser fabricados por medida em diversos modelos e cores e por isso adequam-se a qualquer ambiente e decoração. São os mais versáteis e fáceis de limpar, para tal basta passar o aspirador no sentido das fibras e lavar com um pano com água e sabão neutro. Algumas marcas possuem ainda tratamentos antiácaros e pela facilidade de limpeza, este tipo de tapetes são a melhor opção para quem sofre de alergias.

 

11.jpg

 

As fibras naturais mais usadas são o sisal e o seagrass. São ideais para decorações mais naturais ou rústicas e podem vir na cor natural ou serem tingidos e também podem ser fabricados com mais do que um tipo de fibra misturado, como sisal e lã, com um resultado bastante interessante. Os tapetes de fibras naturais podem ser varridos com vassoura para uma limpeza mais rápida mas necessitam de produtos especiais de limpeza e além disso precisam de ser impermeabilizados antes do uso, já que mancham com bastante facilidade.

 

12.jpg

 

A pele já foi muito utilizada nos tapetes e voltou novamente nas decorações contemporâneas. A textura da pele é macia e aconchegante e o material permite diversos usos e acabamentos, sendo que o modelo formado por quadrados costurados já virou um clássico, no entanto o modelo mais atual (e também mais usado antigamente) é o formato original. Os tapetes de pele precisam de ser lavados em empresas especializadas, pois necessitam de produtos específicos e de secagem especial e a lavagem deve ser feita a cada dois anos ou antes se a fibra estiver a tornar-se opaca.

 

13.jpg

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

E vocês? Já conheciam estas dicas?

Já têm o vosso tapete da sala ou estão a pensar comprar?

Partilhem as vossas opiniões comigo!

 

 

 

 

02
Jun17

Como tirar manchas da roupa das crianças

Anita

0.png

 

Como foi o vosso Dia da Criança? Muitas brincadeiras? Normalmente as brincadeiras são acompanhadas de manchas na roupa dos mais pequenos que nos deixam os cabelos em pé.

 

As manchas nas roupas das crianças só se tornam um pesadelo se forem usados os detergentes inadequados para as tirar ou se houver mistura de itens que provoquem alguma reação e que em vez de ajudar acabam por atrapalhar pois impossibilitam que a mancha se desprenda do tecido.

 

Saiba quais são os produtos de limpeza e outros ingredientes capazes de aniquilar as manchas da roupa das crianças.

 

1. Fomos brincar para a relva?

 

1.jpg

 

Roupas manchadas com clorofila da relva do parque ou de outras plantas em geral podem ser removidas com um pouco de álcool. Se ainda assim a mancha persistir a solução é lavar com um branqueador à base de oxigénio.

 

2. Lama? Oh não!

 

2.jpg

 

Brincar na terra é muito saudável mas normalmente vem sempre acompanhado de manchas de lama. Não desespere! A lama sai facilmente, principalmente se estiver seca. Deixe secar e escove os tecidos para retirar os resíduos. Em seguida é conveniente aplicar uma pasta de sabão em pó ou, em caso de manchas mais teimosas, deixar de molho em água com branqueador à base de oxigénio. Por fim, lave normalmente à mão ou na máquina.

Dica importante: Se a cor do tecido for clara e a roupa delicada, uma boa alternativa é lavar a roupa com água fria e depois com água misturada com vinagre branco. 

 

3. Para os mecânicos de serviço.

 

3.jpg

 

Os seus filhos foram brincar para a garagem ou entreteram-se a consertar uma bicicleta e agora as roupas estão cheias de manchas de óleo? Não se procupe! Para remover manchas de óleo, o tecido deve ser molhado e receber sobre a mancha um solvente (como a acetona). Depois deste procedimento, basta lavar com sabão branco e bastante água. 

 

4. Tem pintores aí em casa?

 

4.jpg

 

Se os seus filhos estão a treinar para um dia virem a ser pintores, saiba que as manchas de tinta normalmente saiem com uma mistura de amoníaco com água óxigenada. Junte quatro gotas de amoníaco e uma colher de água óxigenada a dois litros de água, deixe atuar na sua roupa durante cerca de duas horas e em seguida lave normalmente. Se as nódoas persistirem sempre pode considerar a peça de roupa como uma obra de arte!

Atenção: O Amoníaco é um produto tóxico por isso utilize luvas de borracha e faça este processo num local bem ventilado.

 

5. E as manchas de tinta de caneta?

 

5.jpg

 

Para retirar os riscos de caneta das roupas dos pequenos escritores o truque é deixar a roupa de molho em água e sabão e depois ir aplicando, repetidas vezes, uma mistura de leite com vinagre branco sobre a mancha.

 

6. Meias com sujidade acumulada.

 

6.jpg

 

As manchas nas meias não são privilégio das crianças mais travessas, afinal as meias tendem a ficar encardidas com o tempo e a maioria das mães alega que as meias das crianças são as mais problemáticas. A Solução? Ferver as meias junto com uma rodela de limão! Ficam (quase) como novas!

 

7. E as manchas de transpiração?

 

7.jpg

 

As nódoas nos colarinhos e na área debaixo dos braços, também sujeitas a manchas provocadas pelo desodorizante, saiem se lavar o tecido com água e aplicar sabão em barra nas manchas amareladas. Depois, deixe algumas horas ao sol para por fim enxaguar.

 

8. Para os mais gulosos.

 

8.jpg

 

Roupas manchadas com chocolate não devem ir diretamente para a máquina de lavar sem retirar previamente as nódoas à mão com água morna e um removedor de manchas. Se mesmo assim a mancha não desaparecer por completo as roupas deverão ir à máquina com um branqueador adequado para o tipo de cor e tecido da peça. No caso das roupas brancas, é possível remover as manchas de chocolate com sucesso aplicando sobre as manchas água óxigenada a 10 volumes.

 

9. Entornou sumo de fruta?

 

9.jpg

 

O seu filho estava a beber um sumo de fruta e entornou-o na roupa? Coloque rapidamente sal sobre a mancha e em seguida estique a peça e despeje sobre a mancha uma mistura de um copo de água a ferver com uma colher de sopa de álcool ou de amoníaco. Se a mancha já estiver seca ou for mais antiga, humedeça a área manchada com vinagre branco, deixe agir por alguns minutos e por fim lave com bastante água.

 

10. Dia da comida italiana.

 

10.jpg

 

Decidiu cozinhar um maravilhoso esparguete à bolonhesa e o seu filho derramou molho de tomate na roupa? Molhe a roupa de imediato e aplique maizena (amido de milho) sobre a mancha. Deixe secar, retire o amido de milho com o auxílio de uma escova e lave a peça normalmente à mão ou na máquina de lavar.

 

11. Pastilhas elásticas não são problema.

 

11.png

 

O grande problema das pastilhas elásticas é que elas se agarram "com unhas e dentes" à roupa, tornando difícil a remoção das mesmas. Mas há uma solução! Envolva uma pedra de gelo em plástico e passe na pastilha elástica, isto vai endurece-la, tornando-a menos aderente ao tecido e permitindo que seja removida mais facilmente.

 

12. Gordura. O eterno inimigo da roupa.

 

12.jpg

 

As manchas de gordura podem ser removidas com sabonete branco ou detergente incolor com água fria. Porém, estas fórmulas só funcionam se as manchas forem recentes. Se se tratar de uma mancha antiga mas a roupa ainda não foi lavada coloque detergente sobre a mancha e esfregue, ferva água suficiente para cubrir toda a mancha, despeje na mancha ensaboada e deixe de molho durante cerca de trinta minutos, por último, esfregue e lave totalmente. No entanto, se já tiver lavado a peça de roupa e reparar que a mesma tem manchas de gordura, ferva um litro de água e adicione-lhe uma colher de sopa de amoníaco, mergulhe uma escova nesta solução e esfregue as manchas e, em seguida, limpe a mancha com água e vinagre branco e, por fim, lave a peça normalmente.

 

13.jpg

 

Mantenha a roupa dos seus filhos sem manchas e não se esqueça que o processo de aprendizagem das crianças envolve cometer alguns erros no que toca a manchas na roupa.

Antes de questionar o seu filho acerca das manchas que estão na roupa, procure saber como correram as brincadeiras e as atividades do dia. Elogie-o primeiro e preocupe-se com as manchas depois.

 

Veja também: A casa da roupa branca

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

E vocês? Como reagem quando perante as manchas?

Que dicas têm para partilhar?

 

31
Mai17

Brinquedos certos para cada idade

Anita

0.png

 

É através da brincadeira que as crianças criam, exploram, inventam e acima de tudo desenvolvem as competências inteletuais e motoras que as ajudam a crescer tais como a memória, a linguagem, a atenção, a percepção, a criatividade, o raciocinio e a solução de problemas. É também através da brincadeira que a criança socializa, explora e conhece o mundo, aprende a ser responsável e a interagir com os seus pares.

 

A principal função dos brinquedos deverá ser a de ajudar a criança a crescer sendo um meio privilegiado para aprender, brincando! Enquanto se diverte, a criança desperta a sua curiosidade e vontade em aprender cada vez mais sobre tudo o que a rodeia.

 

Na hora de comprar, veja se este tem o símbolo CE (sinal de que respeita a legislação em vigor) e procure na embalagem a indicação da idade a que se destina, instruções e avisos de cuidados a ter.

 

ce.jpg

  

O Dia da Criança é já amanhã e com ele muitas crianças recebem um presentinho. E porque cada brinquedo deve ser pensado para uma fase específica do desenvolvimento da criança por forma a estimular os seus sentidos, capacidades cognitivas e motoras, bem como o gosto pela aprendizagem de forma natural, confira os brinquedos certos para cada faixa etária.

 

1. Dos 0 aos 6 Meses

 

1.jpg

 

Adoram mobiles coloridos pelo que deve colocar um sobre o berço e observar a forma como reage às sombras, à música e ao movimento oscilante das figuras. Uma verdadeira delícia! 

Opte também por brinquedos coloridos de formas arredondadas, que estimulem os sentidos e que sejam leves, permitindo que o bebé os leve à boca como animais de borracha, rocas ou bolas com guizos.

Preste especial atenção aos materias - tintas e plásticos - pois estarão em contato permanente com a boca do bebé.

 

2. Dos 6 aos 12 Meses

2.jpg

 

Nesta faixa etária os bebés ainda brincam sozinhos e gostam de brinquedos coloridos e que façam barulho. Opte por brinquedos de borracha para apertar que ajudem o bebé a desenvolver a motricidade fina e que ao mesmo tempo possam ser levados à boca de modo a aliviar o desconforto gerado pelo aparecimento dos primeiros dentes, blocos para encaixar e empilhar, livros de plástico ou pano próprios para esta faixa etária, brinquedos que imitam os objetos dos adultos e que façam barulho (como telemóveis) e animais flutuantes para o banho.

Verifique se os décibeis emitidos por alguns brinquedos não são excessivos e se não há risco de se soltarem peças pequenas que compromentam a segurança do bebé.

 

3. Dos 12 aos 24 Meses

 

3.jpg

 

Nesta fase as crianças começam a dar os primeiros passinhos e começam a interagir com outras crianças e com os adultos. Divertem-se com brinquedos que emitem som quando pressionamos um botão e que estimulam a curiosidade pela relação causa/efeito, gostam de bonecos de plástico de cores coloridas e brinquedos para montar e desmontar e com o surgimento dos primeiros passos está na hora de adquirir brinquedos que possam puxar e empurrar de um lado para o outro, como os carrinhos de bonecas.

 

4. Dos 2 aos 3 Anos

 

4.jpg

 

A criança, nesta faixa etária, gosta de brinquedos que induzam o movimento, como os triciclos e as bolas. Para continuar a incentivar a parte motora opte por oferecer blocos de empilhar e instrumentos músicais.

 

5. Dos 3 aos 4 Anos

 

5.jpg

 

Adoram brinquedos que simulem a realidade como cozinhas, oficinas, teatros, casas de bonecas, carrinhos ou animais de plástico.

Esta é uma boa fase para oferecer puzzles que favorecem a concentração e a motricidade fina ou então plasticina, lápis de cera e conjuntos de pintura que estimulam a criatividade.

Comece a dar mais ênfase à literatura, para isso, conte-lhes histórias infantis enquanto eles o acompanham observando as ilustrações. 

 

6. Dos 4 aos 6 Anos

 

6.jpg

 

Nesta fase podem ser inseridos jogos com regras fáceis sendo que através deles são trabalhados tanto o raciocínio como as emoções (especialmente a resistência à frustração, sendo que aprender a lidar com este sentimento é essencial para o seu equilíbrio emocional e desenvolvimento da personalidade).

O triciclo pode ser substituido por uma bicicleta com rodinhas uma vez que os brinquedos que estimulem as brincadeiras ao ar livre e em grupo são muito importantes para a socialização. Incentive-os a respeitar as regras de segurança e a usar capacete. 

Outros brinquedos que são de extrema importância nesta fase são a plasticina, cadernos para colorir, jogos de memória e legos.   

 

7. Dos 6 aos 9 Anos

 

7.jpg

 

Os jogos de construção estimulam o espírito inventivo e a reprodução do mundo real. Livros, jogos de tabuleiro, corda para saltar, patins, bicicletas, carrinhos de corrida, legos, aviões telecomandados são alguns dos brinquedos que fazem a alegria das crianças nesta faixa etária.

 

8. Dos 10 aos 12 Anos

 

8.jpg

 

Com a entrada na pré-adolescência, já se encontram numa fase em que lhes pode perguntar o que gostariam de receber pois estão a começar a definir os seus gostos e interesses mas é também muito importante que opte por lhes oferecer tudo o que lhes estimular o raciocinio e a criatividade como jogos de tabuleiro e livros. 

 

 

Importa ainda relembrar que sempre que decidir comprar um brinquedo novo para o seu filho, independentemente da idade que ele tenha, deverá fazer a si próprio as seguintes questões:

 

9.jpg

 

 

1. Estou, de algum modo, a incentivá-lo a que desenvolva atividades físicas e inteletuais?

2. O brinquedo é adequado para a interação com outras crianças ou jovens?

3. Posso sentar-me e jogar ou brincar com os meus filhos se lhes der isto de presente?

4. O retorno é proporcional ao investimento?

5. Estou a oferecer este presente porque quero proporcionar o desenvolvimento do meu filho ou compensar, de algum modo, a minha ausência?

 

Lembre-se que brincadeira é mais que os brinquedos e brincar pode ser feito com poucos recursos, basta usar a imaginação.

 

10.png

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

Feliz Dia da Criança!

 

29
Mai17

10 Produtos que possuem data de validade mas ninguém conhece

Anita

0.png

 

É muito fácil de perceber quando um alimento ou produto já passou o seu prazo de validade pois este assume outras cores, texturas ou cheiros e outras vezes basta verificar na embalagem.

 

No entanto existem alguns produtos que, apesar de não terem uma data de validade estipulada, vão perdendo os seus efeitos e propriedades com o passar do tempo.

 

A importância de saber a validade dos produtos está relacionada não só com a perda dos seus efeitos (como é o caso do protetor solar que simplesmente deixa de proteger contra os raios UV podendo levar ao aparecimento de queimaduras) como a proliferação de bactérias (como é o caso da maquilhagem e das esponjas de banho).

 

Confira a lista abaixo e se for o caso substitua os produtos que tem em casa.

 

1. Temperos secos

 

1.jpg

 

O prazo de validade dos temperos secos depende muito do modo como os mesmos estão armazenados sendo que, após algum tempo podem ir gradualmente perdendo o seu sabor. Em média o prazo de validade dos temperos vai de dois a três anos.

 

2. Extintor de incêndio

 

2.jpg

 

A maioria dos extintores de incêndio não expira num período que vai de cinco a quinze anos no entanto, se não quer comprometer a segurança dos habitantes da casa, deverá verificar alguns detalhes com periocidade como sendo as fendas na mangueira ou problemas de pressão.

 

3. Esponja do banho

 

3.jpg

 

Devido à humidade e falta de iluminação, a nossa casa de banho é normalmente um local ideal para o crescimento de bactérias. Nas esponjas do banho o mesmo acontece e é recomendado que a substituição das mesmas seja feita no mínimo uma vez por mês. Não nos podemos esquecer ainda de a higienizar e secar a mesma, se possível diariamente.

 

4. Ténis de corrida

 

4.jpg

 

Quando corre é bastante importante que possua um par de ténis que não só amorteça o peso do seu corpo como ainda o impeça de criar lesões. Depois de alcançar certa quantidade de quilómetros - entre 400 e 800 km - os ténis começam a perder resistência o que pode significar uma carga adicional às suas articulações e consequentemente provocar lesões.

Infelizmente não há uma resposta concreta (de 400 a 800km há uma grande diferença!) pois existem sempre variáveis que temos que ter em consideração como a construção dos ténis, a nossa forma física, o tipo de passada que temos, o tipo de solo onde corremos frequentemente e até mesmo o clima.

Por exemplo, se caminhar três a quatro vezes por semana cerca de trinta minutos deverá trocar de ténis a cada seis meses. Se por outro lado, andar sete vezes por semana cerca de uma hora os ténis deverão ser trocados a cada três meses. Importa ainda salientar que se tem excesso de peso deverá trocar de ténis com maior frequência.

 

5. Protetor solar

 

5.jpg

 

O calor até pode ainda não ter chegado em força mas já vemos produtos solares à venda por todo o lado. Mas quantos de nós acabámos a época balnear anterior com os produtos solares ainda a meio? A verdade é que depois de ter contato com a água, com os grãos de areia e com mãos gordurosas, pode se começar a apagar a data de validade da sua embalagem de protetor solar e também é verdade que carregamos os produtos solares para qualquer lado sendo que estes são uma porta aberta á entrada de bactérias. 

Lembre-se que é sempre útil saber quando comprou este tipo de produtos uma vez que as propriedades que protegem a sua pele dos rais UV duram no máximo dois anos, podendo variar de marca para marca. Usar um produto solar fora de validade pode pô-lo em risco porque os filtros UV presentes nos produtos podem não se espalhar de forma uniforme por toda a pele mesmo que os componentes continuem estáveis e podem ainda causar irritações na pele.

Tenha especial atenção aos produtos "after sun" uma vez que estes são aplicados na pele queimada e portanto mais vulnerável.

Em relação aos bronzeadores, a validade é mais reduzida - cerca de um ano após abertura - pois o ingrediente ativo (DHA) é na maior parte dos casos à base de água e tem poucos conservantes sendo que, quando ultrapassa o prazo de validade, estes produtos tendem a oxidar adquirindo uma coloração verde.   

 

6. Maquilhagem

 

6.jpg

 

Maquilhagem com prazos de validade vencidos podem criar irritações e até alergias mais graves pois a validade refere-se sobretudo aos conservantes, ingredientes que evitam a proliferação de fungos e bactérias. Quando se utiliza um produto de maquilhagem já contaminado anterirmente e se houver pequenas lesões na pele, as bactérias do produto contaminado poderão invadir o nosso organismo, provocando infecções. Algumas destas bactérias poderão ainda atacar as glândulas sudoríparas sebácias e até folículos pilosos, que dão sustentação aos pelos da pele.

 

Assim, tenha em atenção a validade da sua maquilhagem:

 

Rímel: 3 a 6 meses

Pós (incluindo pó compacto, pó bronzeador, blush e sombras): 24 meses

Gloss e Batom: 12 meses

Lápis de olhos, sobrancelhas e lábios: 12 meses

Eyeliner líquido: 3 a 4 meses

Verniz: 12 meses

Base líquida: 12 meses

Corretor: 8 meses

Cosméticos naturais: têm uma validade inferior devido ao facto de não usarem conservantes sendo que a validade é cerca de 6 meses

 

7. Bebidas alcoólicas

 

7.jpg

 

A maior parte das bebidas alcoólicas possuem um prazo de validade indeterminado, ou seja, se armazenadas corretamente elas não se estragam. Isto acontece nas bebidas destiladas como a vodka, o whisky o bourbon, a tequilla, a cachaça, o rum e o brandy. As bebidas fermentadas possuem um prazo de validade, após aberto, muito reduzido como por exemplo o saquê e o vinho que devem ser consumidos no prazo de três dias já que vêem o seu sabor e aroma alterados pelo contato com o oxigénio. Por outro lado, os licores que possuem creme na sua composição, como o Bailey's, também são bastante afetados com o tempo. Após abertos devem ser consumidos no prazo de seis meses e fechados geralmente possuem a data de validade escrita na embalagem que geralmente é até cerca de um ano e meio após a data de fabricação. Quando começar a ver que o açucar se cristaliza no fundo da garrafa ou verificar alguma descoloração não deverá consumir esse licor. A cerveja possui a data de validade na embalagem enquanto que os vinhos espumantes deverão ser consumidos no máximo algumas horas após abertos porque perdem a carbonização muito rapidamente.

Importa relembrar que as garrafas devem ser armazenadas em local seco, à temperatura ambiente e longe de luz solar direta. De preferência guarde-as longe de qualquer parede externa pois estas são as que sofrem maiores alterações de temperatura.

 

8. Detergentes

 

8.png

 

Quantos de nós aproveitamos as promoções dos hipermercados para comprar detergentes de qualidade em quantidade? Um bom detergente, armazenado da maneira mais correta, pode durar entre seis meses e um ano desde a data da fabricação e não desde a data em que o compra. Por esta razão, vários especialistas têm exigido que os produtos de limpeza tenham a data de validade ou de fabrico na embalagem evitando a compra de produtos que já não garantam qualidade na limpeza, no entanto, são ainda raros os produtos que a apresentam.

No caso dos detergentes para a roupa, as enzimas responsáveis pela remoção das manchas de chocolate, sangue ou molhos e os agentes de branqueamento são os dois ingredientes que se deterioram com maior rapidez, sendo que os detergentes que apresentam uma maior presença destes componentes são os que se degradam mais depressa.

Em relação ao detergente para a máquina de lavar loiça não chegam a durar seis meses pelo que tenha cuidado se comprou embalagens para ter em stock em casa. Os mais susceptíveis são as pastilhas sendo o detergente líquido aquele que pode guardar durante mais tempo.

As condições de armazenamento também afetam o tempo de vida destes produtos, sendo preferível armazená-los em áreas frescas, secas e sem luz evitando a exposição a agentes que acelerem a degradação.

 

9. Lâminas descartáveis

 

9.jpg

 

Como o próprio nome sugere, este é um produto descartável. Para evitar a proliferação de bactérias o ideal é utilizar uma lâmina por semana ou trocar a cada três ou quatro utilizações. Nunca se esqueça que estes produtos são pessoais e intransmissíveis não devendo ser partilhados mesmo entre familiares.

 

10. Repelente de insetos

 

10.jpg

 

Se tem um repelente químico em casa saiba que é seguro usá-lo por cerca de dois anos no entanto, no caso de ter ingredientes naturais - como a citronela e a bergamota - estes não deverão ser usados por mais de um ano. Mesmo assim, os especialistas recomendam que tenha em atenção a data de validade quando viaja para longe.

Quando falamos de creme ou gel para as picadas de inseto temos que ter especial atenção ao prazo de validade dos mesmos pois trata-se de um medicamento. Se o armazenar corretamente - num sítio escuro e fresco para evitar a proliferação de bactérias - este pode durar até cerca de dois anos sendo que deverá ser sempre substituido se a consistência ou o odor se alterarem.  

 

11.jpg

 

Uma dica muito útil é manter um arquivo, por exemplo no seu telemóvel ou computador, com a data em que adquire estes produtos e qual o prazo de validade sugerido para os mesmos.

 

E vocês, tinham noção da validade destes produtos?

Já está na altura de fazer algumas substituições aí por casa?

 

 

(Imagens retiradas da Internet)

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

Em destaque no SAPO Blogs
pub